Açores cresceram mais que o País e que média da Europa no último ano

0
57
DR/PS
DR/PS

“Os Açores cresceram acima da média nacional e, ao contrário do que alguns tentaram fazer crer, os Açores cresceram de forma significativamente superior à média da União Europeia no último ano”, realça Sérgio Ávila em reação aos dados mais recentes hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

“No último ano o crescimento real da economia dos Açores foi 2,4%, o que é superior ao registado no País, cujo crescimento foi de 2,2%. Igualmente significativo é que esse crescimento resulta uma convergência com a média de produção do País per capita”, adiantou o deputado do PS/Açores.

Para Sérgio Ávila “esses dados hoje revelados apontam para que, no último ano, os Açores tenham registado um crescimento económico em termos reais, superior à média nacional, assegurando uma convergência para o nível de produção e de rendimento do País”, e, acrescentou, merece “particular destaque que os Açores convergiram de forma significativa com a média da União Europeia”.

“Os Açores tiveram, no último ano, um crescimento superior à média da União Europeia e convergiram 1,3 pontos percentuais com  a Europa, aumentando, em apenas um ano, o Produto Interno Bruto per capita em paridade de poder de compra, dos Açores de 68,6%, da média da União Europeia, para 69,9% da média da União Europeia, ou seja, cerca de 70%.

Sérgio Ávila faz um balanço mais abrangente e confirma que “nos últimos 20 anos os Açores registaram uma convergência da sua economia para a média de rendimento e de produção da União Europeia de 3,2 pontos percentuais, quando o conjunto do País divergiu 4,6 pontos percentuais”.

“Estes dados demonstram que os Açores estavam numa trajetória de convergência com o nível de produção da União Europeia, que no último ano teve um grande crescimento e uma grande convergência” e, acrescenta, “este esforço é mais significativo porque foi devido à dinamização da atividade económica privada, nomeadamente nos setores do comércio, turismo, construção e dos serviços para as empresas, sendo que a administração pública só teve uma variação residual de 0,1%”.

“Tivemos um crescimento económico maior do que o País, e uma convergência com os níveis médios da economia Europeia, nomeadamente na Europa a 28 países no último ano”, resumiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO