Avaliação bancária das habitações em Portugal sobe em agosto para 1.288 euros/m2

0
34
DR

O valor médio da avaliação bancária subiu, em agosto, para 1.288 euros por metro quadrado, mais 0,4% que no mês anterior, segundo dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, em agosto, o valor médio de avaliação bancária no âmbito de pedidos de crédito à habitação fixou-se em 1.288 euros por metro quadrado, o que significa mais cinco euros do que em julho e de 7,7% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

A série divulgada pelo INE, desde janeiro de 2011, permite saber que o valor médio de avaliação dos apartamentos subiu três euros quando comparado com julho, para 1.371 euros o metro quadrado (m2), sendo que no caso das moradias, o valor médio de avaliação aumentou 13 euros, para 1.161 euros/m2.

Por regiões, a maior subida para o conjunto da habitação observou-se na Região Autónoma da Madeira (4,4%) e a descida mais acentuada registou-se na Região Autónoma dos Açores (-1,2%).

O INE refere ainda que em agosto, em termos homólogos, o valor médio das avaliações dos apartamentos e de moradias aumentou 9,5% e 5,4%, respetivamente, sendo que a subida homóloga mais elevada para o conjunto das avaliações se verificou no Algarve (+9,2%).

Já o menor aumento registou-se na região do Centro do país (+5,3%).

Segundo o INE, em agosto, o valor médio de avaliação bancária de apartamentos foi 1.371 euros/m2.

O valor mais elevado registou-se na região do Algarve (1.702 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (1.064 euros/m2), sendo que na comparação com julho, o valor para apartamentos aumentou 0,2%, tendo a Região Autónoma dos Açores denotado a maior subida (4,5%) e o Centro a única queda (-0,5%).

Em agosto, e em termos homólogos, a Região Autónoma dos Açores apresentou um aumento de 23,0% e o Alentejo registou a subida menor (5,1%).

O valor médio da avaliação para apartamentos T2 e T3 foi de 1.401 euros/m2 e 1.283 euros/m2, pela mesma ordem.

No caso das moradias, o valor mais elevado observou-se na região do Algarve (1.702 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (1.064 euros/m2), com a avaliação bancária a subir 13 euros, para 1.161 euros/m2.

Os valores mais elevados verificaram-se no Algarve (1.660 euros/m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1.600 euros/m2), tendo o Centro registado o valor mais baixo (997 euros/m2).

Na comparação com julho, a Região Autónoma da Madeira apresentou o maior aumento (4,2%), enquanto a Região Autónoma dos Açores foi a única que apresentou uma queda de1,5%).

Já em termos homólogos, o Algarve apresentou o maior crescimento (14,2%) e o menor verificou-se no Centro (3,6%).

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO