BE apresenta protesto pela incapacidade do Governo em garantir o abastecimento às Flores

0
8

O Bloco de Esquerda apresentou hoje no parlamento dos Açores um voto de protesto pela incapacidade do Governo Regional em garantir o abastecimento à ilha das Flores nas últimas semanas de 2019 e nas primeiras de 2020, deixando a ilha com falta de produtos alimentares e bens de primeira necessidade. O voto de protesto mereceu o apoio de todos os partidos da oposição, mas foi rejeitado pelos votos dos deputados do PS, que se recusam a reconhecer a inoperância, desorganização e descoordenação do Governo Regional nesta matéria.
Perante a destruição do porto das Lajes, eram esperadas do Governo Regional – como haviam sido prometidas – “medidas que a curto prazo permitissem um abastecimento, o mais regular possível, que devolvesse alguma previsibilidade e segurança à ilha”, mas “a verdade é que o Governo não tomou as medidas necessárias para evitar a situação de escassez de produtos nos estabelecimentos comerciais que se veio a verificar”, assinalou o deputado Paulo Mendes.
O BE salienta que “a inoperância, a desorganização, a descoordenação e a falta de capacidade de resposta por parte do Governo Regional tiveram como consequência o fim do stock de bens essenciais nas superfícies comerciais”, uma situação que provocou “um sentimento de abandono por parte da população”.
Prova deste abandono é que apesar de ter sido disponibilizado no portal do Governo – para toda a população, mas principalmente para os comerciantes – um calendário, em atualização permanente, com a previsão da escala de navios para o abastecimento da ilha, esta informação deixou de ser atualizada no dia 13 de dezembro – data em que foi feito o último abastecimento regular de 2019. A partir desta data, os comerciantes e a população deixaram de saber com o que contar.
“Embora a senhora secretária regional das Obras Públicas e Transportes tenha afirmado que o abastecimento de mercadorias ao Grupo Ocidental ‘é uma preocupação do Governo todos os dias’, a verdade é que o Governo não tomou as medidas necessárias para evitar a situação de escassez de produtos nos estabelecimentos comerciais que se veio a verificar”, concluiu o deputado do Bloco de Esquerda, Paulo Mendes.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO