BE lamenta que partidos tenham impedido audição do Presidente do Governo no parlamento

0
10

O Bloco de Esquerda lamenta que a reunião da Comissão Permanente do parlamento realizada hoje não tenha contado com a presença do Presidente do Governo Regional. O BE entende que esta reunião devia ter servido para o Governo “transmitir ao parlamento o ponto de situação da crise epidemiológica, as medidas já implementadas e as que se preparam”.

O Bloco de Esquerda propôs que Vasco Cordeiro participasse no debate realizado hoje no parlamento – por video-conferência – mas essa intenção foi inviabilizada na conferência de líderes.

“Inviabilizou-se assim a possibilidade de questionar Presidente do Governo, e do Parlamento exercer hoje seu o poder de fiscalização da atividade governativa” e “esvaziou-se assim o principal objetivo desta reunião da Comissão Permanente”, disse o líder parlamentar do BE, António Lima.

“O propósito do Bloco de Esquerda não é centrar o debate no funcionamento do parlamento. Mas não poderíamos deixar esta decisão em claro”, salientou António Lima.

António Lima considerou particularmente “absurdas e incoerentes” as posições do PPM e do CDS: “O CDS, por exemplo, quer que a SATA transporte os deputados para a Horta para realizar um plenário – sem se saber para quê – mas não concorda que se oiça o Presidente do Governo por videoconferência aqui e agora”, e o PPM, ontem de manhã, “discordava profundamente da audição do Presidente do Governo na Comissão Permanente”, mas “à tarde já quer ouví-lo, mas noutra comissão parlamentar”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO