BE propõe que autarquia de Ponta Delgada leve à AMISM suspensão do projeto de incineração

0
10
DR

O Bloco de Esquerda vai propor, em assembleia municipal, que a Câmara Municipal de Ponta Delgada defenda, no seio da Associação de Municípios da Ilha de São Miguel (AMISM), a suspensão do atual projeto de construção da central incineração e que seja encontrada uma solução alternativa ambientalmente e economicamente sustentável.

Depois do tribunal ter decidido anular o concurso para a construção da central de incineração de São Miguel, o Bloco de Esquerda defende que é um erro recomeçar o processo insistindo na mesma solução.

Em fevereiro de 2018, o BE apresentou uma proposta semelhante, para que o processo de construção da central de incineração fosse reavaliado e redimensionado. Mas a proposta foi rejeitada pelo PS e pelo PSD com o argumento de que estava a decorrer um processo judicial sobre o assunto e que, portanto, era o “tempo da justiça”, e não o “tempo da política”.

“Sendo que para o Bloco de Esquerda é sempre tempo de pensar e agir na política, estamos agora – pelos padrões destes dois partidos – no ‘tempo da política’ face a este assunto, vamos apresentar uma proposta para suspender o projeto e considerar as alternativas viáveis”, explicou hoje Vera Pires – deputada municipal do BE – em conferência de imprensa.

“Desafiamos PS e PSD a repensar todo o projeto”, assinalou Vera Pires.

“A política europeia de gestão de resíduos não é já a mesma de quando este projeto começou a ser construído, e o próximo quadro comunitário da União Europeia já não vai apoiar financeiramente a construção de centrais de incineração” e “a própria situação dos Açores não é também a mesma, podemos e devemos também aprender com os erros cometidos”, justificou Vera Pires.

O próprio Governo Regional assumiu recentemente que o Plano Estratégico de Prevenção e Gestão de Resíduos dos Açores (PEPGRA) não obriga à existência de uma central de incineração, e que a decisão é da AMISM. Por isso, o BE quer que a autarquia de Ponta Delgada defenda, no interior da AMISM, a suspensão do atual projeto.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO