BE quer consultas de especialidade em ilhas sem hospital com mais regularidade e previsibilidade

0
11

O Bloco de Esquerda defende a elaboração de um plano concreto para a deslocação de médicos especialistas às ilhas sem hospital de forma regular e planeada. “As pessoas têm que saber de quanto em quanto tempo podem ter acesso a estas consultas”, alertou António Lima, deputado do BE, após uma visita ao Centro de Saúde de Velas.

António Lima salienta que a alternativa à deslocação regular de médicos especialistas às ilhas sem hospital tem sido o recurso à deslocação de doentes, uma situação que podia muitas vezes ser evitada se houvesse mais consultas de especialidade na própria ilha.

“Além de ser um transtorno para os doentes, a deslocação aos hospitais tem custos acrescidos para o Serviço Regional de Saúde”, o que não é positivo nem para os doentes, nem para a gestão do dinheiro público.

As preocupações do Bloco de Esquerda relativamente à Saúde nas ilhas sem hospital não ficam por aqui. “Há uma elevada rotatividade de enfermeiros, técnicos superiores de diagnóstico e médicos”, alerta o deputado.

Para resolver este problema e dar estabilidade aos profissionais de saúde, é importante criar condições para que se fixem em cada uma das ilhas, porque só isto permite ter um “conhecimento melhor da comunidade, e uma melhor integração nas equipas profissionais”.

Em São Jorge, especificamente, há a necessidade de preparar a substituição de médicos que estão em vias de sair, quer por situação de passagem à reforma, quer por outras situações.

“Estes processos têm que ser feitos atempadamente. Não podemos esperar que as pessoas se vão embora para iniciar estes procedimentos. Principalmente porque, agora, devido à pandemia, existe uma maior dificuldade em contratar profissionais de saúde, porque eles são procurados por todo o país”, disse o deputado do BE.

António Lima falou ainda do problema das longas listas de espera para cirurgias e consultas, que obriga as pessoas a esperar “semanas, meses ou anos sem fim, por uma consulta”, e que tem implicações muito complicadas na saúde das pessoas.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO