Bolieiro defende programa de apoio às famílias dos jovens agricultores açorianos

0
10

O presidente do PSD/Açores defendeu hoje a criação do ‘Programa Rural Açores Jovem’, que visa apoiar os familiares dos jovens agricultores que trabalhem diretamente nas explorações agrícolas ou executem atividades rurais complementares.

“A mulher e os filhos de um jovem agricultor, que sejam recursos humanos ativos das explorações agrícolas ou desenvolvam outras atividades rurais complementares, devem ter um apoio suplementar na criação e manutenção dos seus postos de trabalho e concessão de benefícios à exploração agrícola”, afirmou José Manuel Bolieiro, após uma reunião com a direção da Associação dos Jovens Agricultores Micaelenses.

O líder social-democrata salientou que o Programa Rural Açores Jovem, uma proposta “estruturante” do partido para a Agricultura, integrará o programa eleitoral com que o PSD/Açores se apresentará aos açorianos nas próximas eleições regionais.

“O Programa Rural Açores Jovem é dedicado ao apoio às famílias dos jovens agricultores que integrem valores ecológicos e promovam investimentos em agroturismo ou em outras atividades rurais e serviços inovadores nas nossas freguesias, como elemento criador de emprego e de fixação da população”, explicou.

Segundo José Manuel Bolieiro, “é preferível pagar e apoiar quem quer trabalhar na economia verde do mundo rural açoriano”.

“Esta é uma proposta estruturante para a afirmação da Agricultura na próxima década. É que, ao contrário de outros, não estamos nos primeiros dias do fim da nossa vida [política]. Apresentamos propostas para uma década de governação, transformação e transição da nossa economia, em que se valorize cada vez mais o rendimento dos agricultores e explorações agrícolas” sublinhou.

O presidente do PSD/Açores acrescentou que os jovens agricultores “são a garantia do sucesso das novas políticas agrícolas e de desenvolvimento rural sustentável” da Região.

“Os jovens agricultores são, por isso, a chave da mudança. São aqueles em quem temos de confiar o futuro da melhoria da competitividade das explorações agroflorestais, da gestão da paisagem, da sustentabilidade ambiental, mas também da sustentabilidade económica das suas famílias”, disse.

José Manuel Bolieiro referiu que os jovens agricultores têm de ser reconhecidos não só como produtores de alimentos, “mas também como prestadores de serviços públicos e que devem ser pagos por isso”.

“Sempre que houver redução da atividade agrícola e o ajustamento à economia verde, quando for necessário, os agricultores serão beneficiários da respetiva compensação financeira, quer por via do mercado quer dos apoios públicos”, frisou.

O líder social-democrata defendeu ainda um “modelo de compensação anual aos jovens agricultores que assumam a reestruturação da sua exploração em modelos inovadores, assegurando o apoio técnico permanente”

“É também por isso que defendemos que recebam a totalidade dos apoios ao rendimento desligados da produção e que façam a mudança que se impõe para aumentar o rendimento das suas famílias”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO