Caso positivo em sem-abrigo nos Açores ainda sem origem identificada

0
73

Os Açores detetaram um caso positivo de covid-19 num sem-abrigo, na ilha de São Miguel, e ainda estão a identificar os contactos próximos para detetaram a origem da infeção, revelou hoje a Autoridade de Saúde Regional.

Queremos perceber se é algum foco que é detetado na comunidade, que é motivo de preocupação, ou se conseguimos determinar, da mesma forma que fizemos com as outras cadeias que identificámos, se há alguma ligação epidemiológica, com os profissionais de saúde ou com os serviços onde este cidadão possa ter recorrido”, avançou o responsável máximo da Autoridade de Saúde Regional dos Açores, Tiago Lopes, no ponto de situação diário sobre a evolução do surto de covid-19 no arquipélago, feito em Angra do Heroísmo.

O caso já tinha sido detetado, mas só hoje, questionado pelos jornalistas, Tiago Lopes confirmou a existência de um cidadão sem-abrigo infetado.

Na ilha de São Miguel, onde foi identificado este caso, foram já registadas quatro cadeias de transmissão local, uma das quais terciária, com focos no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, e no lar da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste.

As autoridades de saúde estão agora a fazer “um levantamento de todos os registos de idas ao serviço de urgência, internamentos, idas à Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel e a outras entidades que prestam algum tipo de apoio a este tipo de cidadãos” para tentarem identificar o foco da infeção.

Segundo Tiago Lopes, estão a ser igualmente identificados, em conjunto com a tutela da Solidariedade Social e com a Direção Regional do Combate às Dependências, todos “os contactos próximos” deste cidadão, que serão testados.

Tendo em conta que se trata de uma “população de maior risco”, será “providenciado alojamento” tanto para este primeiro caso, como para outros que venham a ser detetados.

“Iremos conseguir dar-lhes as devidas condições para que perante esta situação de infeção também possam ter o seu processo de recuperação da doença”, assegurou o responsável da Autoridade de Saúde Regional.

Os Açores atingiram hoje 100 casos confirmados de covid-19, com seis novos casos positivos, todos na ilha de São Miguel.

Destes, três (dois homens de 28 e 40 anos e uma mulher de 29) estavam em confinamento numa unidade hoteleira, por terem viajado para o exterior do arquipélago.

“Estes três positivos vêm dar razão quando implementámos a quarentena, quer em âmbito domiciliário, quer em unidade hoteleira, por via de os resguardarmos de uma interação social”, salientou Tiago Lopes.

Os outros três casos estavam relacionados com a cadeia de transmissão terciária, iniciada na Povoação: um homem de 66 anos e uma mulher de 59, que tiveram contacto com utentes ou funcionários do lar do Nordeste, e um profissional de saúde do Hospital do Divino Espírito Santo, que já se encontrava em quarentena.

Foram detetadas hoje três novas recuperações, todas na ilha de São Miguel, duas das quais em profissionais de saúde, que tinham sido infetados em viagens ao exterior.

O arquipélago registou, desde o início do surto, oito casos de recuperação (quatro em São Miguel e quatro na Terceira) e quatro óbitos (em São Miguel).

Dos 100 casos já detetados, 88 estão ativos (55 na ilha de São Miguel, 10 no Pico, sete na Terceira, sete em São Jorge, cinco no Faial e quatro na Graciosa).

Estão internados nos três hospitais da região e no centro de saúde do Nordeste 17 doentes, cinco dos quais em cuidados intensivos.

Há 2.770 pessoas em vigilância ativa e 130 ainda aguardam por colheita de amostras ou resultados laboratoriais.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO