CDS vê com preocupação os resultados da educação na Região

0
15
DR-CDS-PP

Durante a interpelação ao Governo Regional sobre os resultados obtidos pelas escolas açorianas no âmbito das provas finais do 3º ciclo do ensino básico e dos exames finais do ensino secundáriodurante o ano letivo 2017/2018, o Presidente do Grupo Parlamentar do CDS, Artur Lima, considerou “útil debater os resultados da educação para que todos possam dar o seu contributo”, realçando que, apesar de “haver mais vida para além dos rankings das escolas”, é “preocupante os consecutivos maus resultados obtidos”.
“Contudo, não descurando os números do ranking, há realmente mais vida para além do ranking.
Por exemplo, um dirigente de uma escola açoriana referiu que poucos alunos querem ir para o ensino superior, uma vez que o baixo rendimento das famílias é um fator inibidor, e isso pode explicar os maus resultados das ilhas nos exames nacionais. Isto preocupa o CDS. Será que preocupa o Governo Regional?” – questionou Artur Lima.
Para Artur Lima, um dos fatores que também contribui para o sucesso educativo é a estabilidade do corpo docente, o que, segundo o líder do CDS, não existe nas escolas da Região, visto que o Governo Regional alterou as regras do concurso do pessoal docente, permitindo que os professores sejam colocados nas escolas por um ano. “Há professores que nem chegaram a pôr os pés nas escolas. Essa alteração ao concurso do pessoal docente, que o CDS votou contra, contribuiu para a instabilidade do corpo docente, com particular incidência nas ilhas mais pequenas”, destacou.
“Há, de facto, mais vida para além do ranking. Era preciso que os professores estivessem
motivados e que o Governo não lhes fizesse guerrilha permanente. Era preciso que os professores e os alunos tivessem condições nas escolas. Era preciso combater a desmotivação e a tristeza que afetam a comunidade educativa”, referiu.
Artur Lima salientou os vários  contributos positivos que o CDS deu em matéria de educação, nomeadamente o prémio de mérito de ingresso no ensino superior a atribuir aos alunos açorianos, que foi aprovado, por unanimidade, no último Plano e Orçamento da Região. “Este prémio é uma ajuda às famílias e estimula os nossos alunos. Demos o nosso contributo. Não fizemos só crítica. Somos uma oposição crítica, mas também construtiva”, concluiu Artur Lima.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO