Cecília Meireles, nova líder parlamentar do CDS, fica até janeiro e depois se verá

0
5
DR
No dia do arranque da XIV legislatura, na Assembleia da República, em Lisboa, a bancada do CDS, reduzida de 18 a cinco deputados após as legislativas de 06 de outubro, elegeu o seu líder parlamentar, no caso, Cecília Meireles, com cinco votos favoráveis, segundo a próxima afirmou aos jornalistas.
Com o partido a atravessar uma “fase de transição”, após a decisão da líder, Assunção Cristas, de deixar o cargo e convocar um congresso, para 25 e 26 de janeiro, Cecília Meireles afirmou que, depois, com um novo presidente eleito, “naturalmente” pretende devolver a decisão aos deputados que “poderão reponderar e confirmá-la ou não”.

Cecília Meireles sucede a Nuno Magalhães à frente da bancada centrista, cargo que ocupou durante oito anos.

Uma das primeiras “batalhas importantes” que tem pela frente, admitiu, é a discussão do próximo Orçamento do Estado, insistindo na tese de que o CDS que recusa a ideia de um Estado se “apoderar” dos esforços dos portugueses, que devem ser recompensados pelo seu trabalho e pelo seu esforço.

E agradeceu tanto o apoio dos seus colegas da bancada como dos eleitores que confiaram nos deputados do CDS “para os representar”.

Dizendo que o partido está habituado “a resistir em tempos difíceis”, Cecília Meireles promete que os cinco reprsentantes vão “arregaçar as mangas” e trabalhar “todos os dias” para que “cada um deles valha por muitos deputados”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO