Centros Ambientais dos Açores foram abandonados pelo atual Governo Regional, denuncia Tiago Branco

0
31
blank

Os deputados do Grupo Parlamentar do PS Açores, pela voz de Tiago Branco, denunciaram, esta quinta-feira, a forma como o Governo dos Açores está a “descurar” o funcionamento dos Centros de Interpretação e Ambientais da Região.

Tiago Branco falava à margem da visita ao Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, no Faial, com o objetivo de abordar o encerramento de serviços de apoio aos centros interpretativos dos Açores.

O deputado recordou que em janeiro deste ano, no seguimento da extinção da empresa Azorina, foram publicadas resoluções do conselho do Governo a dar conta da autorização para o lançamento dos procedimentos concursais com vista à concessão e exploração dos bares do Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, da Casa da Montanha na ilha do Pico e do Centro de Monitorização e Investigação das Furnas. No entanto, referiu, “desde então até hoje não se conhece nada mais sobre este processo e o que constatamos é que, em plena época alta, estes serviços de apoio, bares e lojas de vendas destas e de outras infraestruturas idênticas de visitação da nossa Região, mantêm-se fechados, traduzindo-se num claro retrocesso no serviço prestado a quem visita estes espaços”.

Tiago Branco considerou “inaceitável” esta situação, “ainda para mais em infraestruturas como esta e a Casa da Montanha”, sendo estas mais isoladas de outros serviços de comércio.

“A verdade é que o Governo Regional não acautelou atempadamente esta situação, prescindindo, inclusive, de receitas que poderia estar a arrecadar”, lamentou o parlamentar.

Para além disso, Tiago Branco salientou ainda as dificuldades que têm sido sentidas no normal funcionamento destes espaços devido à falta de recursos humanos, o que faz com que “estes trabalhadores sejam forçados a fazer turnos de oito dias consecutivos e que muitas vezes sejam canceladas visitas guiadas a estes espaços pelo facto de as pessoas que aqui trabalham, por vezes, serem chamadas para ‘tapar’ buracos noutros locais”.

Posto isto, Tiago Branco disse que a “teoria” que os partidos que suportam o Governo Regional “tentou difundir” de que Azorina teria funcionários a mais “cai por terra perante situações como estas”.

Funcionários, salientou, “de excelência que têm dado o melhor de si pelo nosso destino Açores, pela manutenção destes espaços”.

“Hoje veem-se confrontados com falta de organização e de gestão do Governo Regional na manutenção destes recursos”.

Assim, o parlamentar acredita que o executivo está a prejudicar a imagem do destino Açores já que “estamos a falar de espaços de excelência que já receberam centenas de milhar de visitantes, prémios de reconhecimento internacional e que agora estão a ser descurados pelo Governo Regional que, na ânsia de pôr fim a tudo o que é património dos Governos do Partido Socialista, toma decisões sem olhar às consequências e sem, atempadamente, garantir alternativas que garantam os padrões de qualidade de um destino de excelência como são os Açores”, denunciou.