Cerca de 900 passageiros da SATA poderão ser afetados pelo “Lorenzo”

0
53
DR

Cerca de 900 passageiros de voos do grupo SATA deverão ser afetados na quarta-feira pela passagem do furacão “Lorenzo” pelos Açores, segundo uma estimativa do gabinete de emergência da operadora aérea divulgada à agência Lusa.

O grupo SATA reuniu hoje o seu gabinete de emergência para tomar medidas que visam minimizar os eventuais impactos que a passagem do furacão “Lorenzo” pelos Açores venha a provocar nos voos programados.

Segundo o porta-voz do grupo SATA, António Portugal, em função do provável percurso do furacão – que “deverá afetar maioritariamente” as ilhas do grupo Central (Faial, Pico, São Jorge, Graciosa e Terceira) e Ocidental (Flores e Corvo) -, foram tomadas medidas de precaução em termos de instalações aeroportuárias e da frota da Azores Airlines e da SATA Air Açores.

De acordo Com António Portugal, o gabinete de emergência da SATA, presidido pela vogal do conselho de administração Ana Azevedo, referiu que, além de estarem já “quantificados os voos e passageiros que poderão ser afetados por essas irregularidades operacionais”, já está “providenciada a respetiva proteção ou reencaminhamento ainda no dia e nos dias subsequentes”.

Estima-se que, no caso da Azores Airlines, que assegura as ligações do arquipélago com o exterior, sejam afetados 500 passageiros nos voos com as ilhas do Pico e Faial, nos dois sentidos.

No caso da SATA Air Açores, que garante as ligações interilhas, Flores, Corvo, Faial, Pico, Graciosa e São Jorge deverão ser atingidas, estimando-se que 400 passageiros sejam afetados.

O grupo SATA prevê a possibilidade de se realizarem “alterações no plano operacional que visam colocar rapidamente nos seus destinos os passageiros dos voos que eventualmente possam ser afetados pelo furacão”.

O furacão “Lorenzo”, que hoje passou à categoria 2 na escala de Saffir-Simpson, encontrava-se de manhã a aproximadamente 1.800 quilómetros a sudoeste dos Açores, mas está prevista uma “diminuição da intensidade nos próximos dias”.

Segundo um comunicado emitido esta manhã pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), às 09:00 o furacão – que na noite de domingo era descrito como de categoria 4 e já teve outras classificações – deslocava-se “para norte/nordeste a uma velocidade de 20 quilómetros por hora”.

A escala de Saffir-Simpson mede a intensidade dos furacões entre os níveis 1 e 5, sendo 5 o nível mais intenso.

“Mantendo-se as previsões da trajetória, o centro do furacão deverá passar muito próximo do grupo Ocidental (Flores e Corvo), afetando assim todo o arquipélago na próxima quarta-feira”, lê-se no comunicado assinado pela meteorologista Elsa Vieira, da delegação dos Açores do IPMA.

No entanto, “devido à distância a que o furacão se encontra”, o IPMA reitera que “existe ainda incerteza relativamente à trajetória exata e à respetiva intensidade com que poderá atingir o arquipélago”.

Um novo comunicado do IPMA será emitido esta noite às 21:00 locais (mais uma hora em Lisboa).

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO