Cultura – Sobre o musical “Capelinhos”, de Filipe Fonseca e Victor Rui Dores

0
31
DR

Por: Victor Rui Dores

O Vulcão dos Capelinhos, ocorrido na ilha do Faial no dia 27 de Setembro de 1957, foi o acontecimento que mais marcou a história açoriana do século XX.
A erupção vulcânica prolongar-se-ia até 24 de Outubro de 1958, causando grandes fluxos migratórios para os Estados Unidos da América e Canadá.
O musical “Capelinhos”, com ideia original, composição e direção musical de Filipe Fonseca, libreto e textos de Victor Rui Dores, dá precisamente conta dos efeitos causados por esse Vulcão junto das populações, com enfoque especial na história de uma família açoriana que emigra para a América, suas vivências e aculturação em terra estrangeira, e retorno à ilha.
Orquestrado e dirigido por Filipe Fonseca, “Capelinhos”, cujos temas foram compostos entre finais de 2018 e concluídos em Novembro de 2019 para o início de pré-produção, tem como suporte musical uma banda constituída por vários músicos faialenses. Os cantores protagonistas são Sara Miguel e Bruno Rosa, com interpretações notáveis, destacando-se duas melodias de inegável beleza musical e poética: “Balada do nosso lar” e “Valsa da Vida”.
“Capelinhos” põe à prova o eclectismo de Filipe Fonseca, com géneros musicais que variam do clássico ao pop, do music hall ao jazz, do rock à música electro-acústica.
As partes faladas do musical estão a cargo dos actores do grupo de teatro faialense “Carrocel” e ainda de outros convidados. A dança é também um elemento chave deste musical, com especial destaque para o “Bailado do fogo” com coreografia original de Diva Silva. A envolver a beleza plástica deste espetáculo está o trabalho multimédia de Tomás Melo.
“Capelinhos”, o primeiro musical feito nos Açores com todo o elenco e técnicos açorianos, será estreado no dia 4 de Julho de 2020, no Teatro Faialense, seguindo-se mais duas actuações, naquele mesmo espaço, nos dias 5 e 6 de Julho.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO