Deputada do PS/A alerta para importância da estratégia nacional de relançamento das exportações apoiar as empresas regionais

0
8

Lara Martinho, deputada do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República, alertou para a importância de se envolver de forma ativa as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira na estratégia nacional de relançamento das exportações, “apoiando igualmente as economias regionais e as empresas açorianas e madeirenses, nos vários sectores de atividade, particularmente o turismo, e a indústria dos lacticínios, neste período de pós pandemia”.

A vice-presidente da bancada do GPPS, que participava na audição ao Ministro do Estado e dos Negócios Estrangeiros, na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, referia-se assim ao plano de ação desenvolvido com o objetivo de impulsionar as vendas ao exterior e atrair investimento estrangeiro.

“Este é, sem dúvida, um importante plano para apoiar as nossas empresas no pós-pandemia, e a realidade é que a campanha internacional a lançar poderá tirar partido do facto de Portugal ter gerido bem esta fase da pandemia, com boa imprensa internacional”, afirmou Lara Martinho.

A socialista assinalou ainda a conclusão de um novo Acordo de Comércio entre a União Europeia e o México, para questionar sobre as oportunidades e desafios que este acordo pode colocar a Portugal, num momento em que, perante a COVID-19, “temos ouvido muitas vozes em defesa de mais protecionismo em detrimento de mais comércio livre”.

“Desta forma, é importante perceber como irão evoluir as negociações dos acordos de comércio que estão a ser negociados, no sentido de percebermos se iremos avançar, a nível europeu e mundial, para mais protecionismo ou se continuaremos esta aposta no comércio livre e assente em regras como um instrumento para a recuperação da economia europeia e mundial”, acrescentou.

Já Eurico Brilhante Dias admitiu ser constante a cooperação com as Regiões Autónomas, tendo a AICEP, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, protocolos com a SDEA, no caso dos Açores e, na Madeira, com a entidade que faz a sua promoção externa.

Quanto ao acordo de comércio entre a União Europeia e México, o Secretário de Estado da Internacionalização afirmou ter sido uma grande aposta da diplomacia económica portuguesa nos últimos anos: “Não só porque tivemos a oportunidade de sermos país convidado na feira do livro de Guadalajara, onde foi possível ter um conjunto de iniciativas de promoção económica que permitiram dar maior visibilidade a Portugal, como foi possível fazer várias missões em setores muito importantes, nomeadamente o automóvel, equipamentos, agroalimentar, em particular a área dos vinhos, e a moda, e fomos posicionando Portugal para este momento e as oportunidades estão abertas”.

Além do mais, o Secretário de Estado sublinhou ainda o setor aeronáutico como outra das áreas em que se investiu fortemente com o México, uma aposta que assume poder voltar a acontecer.

Acrescentando que o protecionismo por si só levar-nos-ia a um empobrecimento generalizado, Eurico Brilhante Dias afirmou haver “setores nevrálgicos para a continuidade da nossa vida enquanto comunidade que nos obrigam a ter cautelas perante momentos de forte disrupção”.

“Percebemos isso no setor da saúde, quer nos equipamentos de proteção individual, quer no outro conjunto de equipamentos e temos de continuar a tentar criar condições de vida para os nossos cidadãos e isso passa por comerciar, não só no quadro da União Europeia, mas com outras regiões do globo, percebendo que há um conjunto de setores e bens de que depende a vida da nossa sociedade”, referiu o Secretário de Estado, acrescentando ainda haver “lições a tirar desta pandemia”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO