Educação – Novo governo açoriano tem “respostas prontas” para os problemas do setor

0
21
DR/PSD
DR/PSD

A deputada do PSD/Açores Délia Melo garantiu esta manhã que o novo governo açoriano “tem respostas prontas para o setor da Educação”, apresentadas “de uma forma realista e exequível, num investimento que não cria ilusões”, afirmou.

Na discussão do Plano e Orçamento para 2021, a social democrata lembrou os constrangimentos causados pela pandemia, “que nos transportou à realidade diferente e inevitável do ensino à distância, à que o Governo reagiu prontamente, investindo na modernização do Parque Escolar da Região”.

“Para o efeito, está prevista a aquisição de equipamentos e recursos educativos, assim como o desenvolvimento de novas competências, através do projeto ‘Escolas Digitais’, com uma verba de quase 3 milhões de euros”, adiantou.

“Isso vai permitir uma maior igualdade de oportunidades no acesso às novas tecnologias. Aliás, a Secretaria Regional da Educação já lançou o concurso internacional para o fornecimento e distribuição de 4 mil computadores portáteis e 1000 tablets para as escolas da Região”, acrescentou.

Outro ponto a reter “é o aumento dos apoios no âmbito da Ação Social Escolar, para contrariar as desigualdades sociais deixadas pelo anterior executivo, numa realidade que nos entristece e confirma a ineficácia das políticas socialistas na Região”, disse Délia Melo.

A deputada recordou que, no ano letivo 2011/2012, 58% dos alunos açorianos “beneficiaram de apoio social escolar e, passados quase 10 anos – em 2020/2021 -, são 61,4% a precisar desse apoio. Ou seja, 6 em cada 10 alunos necessitam de receber um montante que corresponde a 43% do investimento para a área e que ultrapassam os 9 milhões de euros”, sublinhou.

“Volvidos praticamente 10 anos, com uma redução de 8 mil alunos matriculados, onde estão as desejadas melhorias?”, questionou a parlamentar, frisando que “não houve uma estratégia global e concertada de investimento na Educação”.

Para Délia Melo, “não é por acaso que os Açores possuem a maior taxa de pobreza do país – com 31,5% da população -, uma realidade que tem implicações no insucesso e no abandono escolar precoce, onde a Região apresenta os valores quase três vezes superior à média nacional”, alertou.

A parlamentar também informou que “se inscreveram cerca de 4 milhões de euros, desde 2016, para o combate ao insucesso e abandono escolar precoce, mas a taxa de execução foi de 0%, em mais um falhanço da anterior governação”.

“É com passos firmes, e partindo para uma visão integrada, que este plano se mostra diferenciador face aos do passado. É neste sentido que este Governo Regional apresenta a sua missão, não como uma utopia, mas antes como uma realidade”, concluiu Délia Melo.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO