Eliminação de barreiras arquitetónicas garante ambiente mais seguro em casa, afirma Andreia Cardoso

0
10
DR

A Secretária Regional da Solidariedade Social destacou hoje, na Calheta, em São Jorge, a medida do Governo dos Açores que visa a eliminação de barreiras arquitetónicas em habitações de pessoas idosas ou dependentes, pelo facto de “permitir que, através de pequenas intervenções, seja possível garantir um ambiente mais seguro em casa”.

Andreia Cardoso falava na cerimónia de assinatura de acordos e protocolos de colaboração com vista à eliminação de barreiras arquitetónicas em habitações de nove famílias com idosos, num orçamento de cerca de 25 mil euros.

“Estas intervenções preventivas em habitações visam tornar a casa um ambiente mais seguro e, assim, prevenir as quedas, porque as quedas são, de facto, fatores de isolamento e dependência”, acrescentou.

Acabar com as barreiras arquitetónicas é uma das medidas incluídas no I Plano de Ação Bianual 2018-2019 da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e à Exclusão Social, que visa adequar as habitações das pessoas mais idosas e com mobilidade reduzida, por forma a eliminar pontos de risco de queda.

Para o sucesso desta medida do Executivo açoriano, Andreia Cardoso destacou o papel das juntas de freguesias e das IPSS, por serem “um meio privilegiado de sinalização das situações que carecem de intervenção, identificando mais facilmente as moradias com maior necessidade de adaptação, não só pela relação de proximidade que têm com a população, mas também por conhecerem a realidade das suas localidades”.

Os apoios hoje atribuídos em São Jorge, numa cerimónia realizada no âmbito da visita do Governo a esta ilha, seguem-se aos que já foram concedidos nesta modalidade nas ilhas do Pico, Terceira, Faial e São Miguel, envolvendo um total de 132 famílias açorianas, num investimento superior a 576 mil euros.

“Prevemos autorizar nos próximos dias mais cerca de 40 apoios deste género nas ilhas das Flores, Santa Maria, Graciosa, Terceira e São Miguel”, adiantou a Secretária Regional.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO