Estatuto laboral e profissional – SINTAP promove reuniões de trabalho no Faial e no Pico

0
9
SINTAP

Esta semana o SINTAP – Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e Entidades com fins Públicos realizou uma série de reuniões com os trabalhadores dos serviços públicos e das IPSS/Misericórdias sedeados nas ilhas do Faial e do Pico.
De acordo com o programa, a que o Tribuna teve acesso, estas reuniões tiveram como objetivo principal ouvir os trabalhadores sobre as principais questões e problemas socioprofissionais que os afetam nos respetivos locais de trabalho, assim como dar a conhecer as principais reivindicações e ações sindicais do SINTAP na defesa do seu estatuto laboral e profissional, em matéria de vínculos, remunerações, carreiras, nomeadamente sobre promoções e progressões, avaliação do desempenho e formação profissional.
O impasse no processo negocial de revisão do acordo coletivo de trabalho dos trabalhadores das IPSS/Misericórdias e a auscultação destes trabalhadores quanto à possibilidade de recurso à greve como forma de desbloqueio deste impasse, foi outro dos temas abordados nestes encontros sindicais.


Segundo o SINTAP “a necessidade premente da atualização dos salários dos trabalhadores da Administração Pública, que não foram alvo de qualquer aumento desde 2009, e dos trabalhadores das IPSS/Misericórdias, que viram, desde aquela data, os seus salários aumentados apenas em 1% em 2018”, constitui também uma das principais reivindicações do desta estrutura sindical.
“A revisão e correção da tabela remuneratória única da administração pública, a desvalorização profissional e remuneratória que provocou nas posições remuneratórias mais baixas das carreiras de assistente operacional e técnico, e não só, são igualmente importantes nas reivindicações do SINTAP que urge resolver de modo a ultrapassar o clima de injustiça, descontentamento e revolta que grassa no setor, nomeadamente entre os assistentes operacionais com largos anos de trabalho e experiência que se viram de repente a ganhar o mesmo que os colegas que agora entram para o serviço público”, refere o SINTAP na nota enviada às redações.
Estes encontros contaram com a participação de duas equipas constituídas pelos dirigentes sindicais Francisco Pimentel, Luís Armas, Orlando Esteves, José Terra Carlos, Jorge Terra e Hélio Santos, para além dos respetivos delegados sindicais.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO