Estou do seu lado

0
19
TI
TI

Apresentei-me esta semana como cabeça de lista do CDS, pelo círculo eleitoral do Faial, às eleições regionais de 25 de Outubro próximo.
O que me move, a mim e à minha equipa, para esta candidatura é em primeiro lugar o dever cívico da participação democrática na discussão dos assuntos relacionados com a nossa ilha e com os impactos que causam nas nossas vidas. Por outro lado, queremos que os Faialenses possam ver em nós a alternativa à constância de 44 anos em que sempre elegemos 2 deputados do PS e 2 deputados do PSD.
Não queremos que os Faialenses deixem de votar, ou que votem nos mesmos de sempre, por falta de alternativas.
O Faial, em 44 anos, foi sempre uma ilha a duas vozes. Quatro representantes, mas duas vozes, uma a favor e outra contra. Considero que somos mais plurais que isso. Não podemos passar mais 4 anos em que, e a titulo de exemplo, o deputado socialista que nos representa faça apenas 4 intervenções. Uma intervenção a pedir à República que fizesse a ampliação do aeroporto e mais três a enaltecer o excelente trabalho do Governo Socialista (GRA) e de como os Faialenses não têm razões de queixa.
Não podemos passar mais quatro anos sem saber quem são as pessoas que têm o dever de nos representar e de nos prestar contas.
Por isso comparecemos e dizemos presente.
É por isso que digo que pode contar comigo. Pode contar com o CDS para estar do seu lado. Há quatro anos candidatei-me, e pelo CDS no circulo da compensação pude representar os Faialenses na ALRA durante seis meses. Passamos a ter 5 deputados, mas a maior vitória foi que passamos a ter 3 vozes e falou-se mais vezes no Faial. A cada intervenção minha, ninguém quis ficar para trás e obrigaram-se a vir a jogo.
Propus o investimento na criação de um Centro de Actividades Ocupacionais (CAO) na APADIF, uma reivindicação de há muito desta associação. Finalmente ouviram uma resposta do GRA. Não foi a resposta que todos pretendíamos, mas pelo menos deixaram de ter a ilusão de que o Governo e o Partido Socialista ia atender o seu pedido. Por outro lado, conseguiu-se um compromisso da Secretária da Solidariedade Social de que iria apresentar até ao fim desta legislatura o projecto do CAO da Santa Casa da Misericórdia. A legislatura terminou, a promessa é mais uma que fica por cumprir. Assim, e porque considero que é necessário e sem demora dar condições condignas aos utentes deste serviço, vamos colocar na agenda politica a urgência de dignificar o trabalho desenvolvido naquela instituição com condições que permitam melhor servir as pessoas com deficiência na ilha do Faial.
Na saúde, não nego que houve investimentos em infraestruturas nos últimos anos. No entanto, o edifício onde são internados o maior número de utentes no Hospital da Horta (HH), é também o que tem piores condições. Frio no Inverno, quente no Verão, com problemas nas canalizações, nas caixilharias e nos pisos. Considero que podemos dotar o HH de condições condignas para os próximos 30 anos, investindo a Região uma fracção do valor pago anualmente pelo Hospital de Angra do Heroísmo (HSEIT). Gastamos anualmente 14 milhões de euros no HSEIT, sem que esse dinheiro trate uma única pessoa.
Também na campanha de há quatro anos, denunciamos e colocámos na agenda política a reparação da estrada do mato, que liga a Casa das Batatas à Ribeira Funda. Fomos consequentes com a nossa promessa e propusemos em sede de Plano e Orçamento uma verba para a sua concretização. Essa proposta foi chumbada pela maioria socialista, tendo os deputados Ana Luísa Luís e Tiago Branco votado contra este investimento.
Peço aos Faialenses que olhem para o passado, para a representatividade que deram consecutivamente aos mesmos e que ponderem se valerá a pena fazer a mesma escolha à espera de obter resultados diferentes.
Considero que o CDS é a escolha certa na defesa dos direitos dos Faialenses.
Pelo meu lado estarei como sempre, do seu lado!

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO