Faial. PSD quer salvaguardar o património histórico e arquitetónico da Casa do Pilar

0
34
DR
DR

O deputado do PSD/Açores eleito pelo Faial, Carlos Ferreira, questionou hoje o Governo Regional sobre o conhecimento formal que a tutela terá do património histórico e arquitetónico da Casa do Pilar, um imóvel localizado na freguesia da Conceição e que está em acentuado estado de degradação.

A Casa do Pilar, também conhecida por Palacete do Pilar, começou a ser construída em 1785 pelo Dr. Manuel Inácio de Sousa Sarmento, que foi capitão de ordenanças nomeado em 1775, provedor interino dos resíduos em 1791 e vereador da Câmara Municipal da Horta em 1781.

“Trata-se de uma casa solarenga, de arquitetura barroca, cuja relevância histórica do imóvel foi acentuada em 1901, durante a estadia no Faial do Rei D. Carlos, que visitou a Casa do Pilar e ofereceu à Irmandade de Nossa Sra. do Pilar uma joia, que se encontra agora no Museu de Arte Sacra desta ilha”, explica o social democrata.

“Ao longo do último século, o edifício degradou-se de forma muito acentuada, não obstante constar no Inventário do Património Imóvel do concelho da Horta”, acrescenta o deputado.

Para Carlos Ferreira, o valor imaterial do imóvel “exige que se requeira a informação necessária à avaliação da situação, tendo em vista salvaguardar, se possível, o seu contributo para a valorização do património histórico e arquitetónico da ilha do Faial e dos Açores”, adianta.

“Segundo o proprietário, foram realizadas diligências tendo em vista a sua classificação, com o objetivo de promover também a sua recuperação, mas o procedimento foi interrompido pela Administração Regional no primeiro semestre de 2020”, disse ainda Carlos Ferreira.

No requerimento enviado à ALRAA, o deputado quer saber “a posição do novo Governo Regional face à preservação e recuperação do património histórico e arquitetónico do Faial e dos Açores, e se a Casa do Pilar poderá ter interesse no contexto da visão para aquela área”.

Carlos Ferreira defende que “o respeito pelo património é um instrumento importante para a valorização cultural, social e económica da ilha do Faial e da Região”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO