Filarmónica Euterpe de Castelo Branco celebra cem anos amanhã

0
23

A fundação oficial da Filarmónica Euterpe de Castelo Branco data de 12 de Maio de 1912, dia em que a banda “saiu a tocar” pela primeira vez, acompanhando a procissão da solene Visita do Senhor aos Enfermos, que percorria as ruas da freguesia com o Santíssimo Sacramento, visitando os doentes. Terá então interpretado o passo dobrado “Recém-nascido”, da autoria do compositor A. Lança, sob a regência do seu primeiro maestro, Tomás Francisco de Medeiros. 

A sua primeira actuação fora da freguesia aconteceu no Império de São Pedro, na Feteira, algumas semanas depois da sua estreia. A primeira deslocação à cidade da Horta aconteceu em 8 de Junho 1913. Em 1918 aparecem os mais antigos Estatutos da banda, que serão, muito provavelmente, os primeiros existentes.

Durante 66 anos, a Euterpe preparou as suas actuações em várias “casas de ensaio” na freguesia de Castelo Branco, espaços como um pequeno edifício na Ladeira da Igreja, pertencente ao Império da Coroa Velha, uma abegoaria e uma dependência anexa ao cemitério, a que se chamava “Casa das Almas”.

O sonho de ter uma sede própria começa a concretizar-se em 1966, com a constituição de uma Comissão Pró-Sede, que se mobiliza na tarefa de angariar fundos para esse projecto. Foram enviados ofícios a solicitar apoio a várias entidades e aos albicastrenses radicados nos Estados Unidos da América e no Canadá. Entre os apoios públicos e os donativos, a construção da sede arrancou, com muito empenho dos amigos e tocadores da Euterpe, que arregaçaram mangas para servir de mão-de-obra nos trabalhos. Seis anos depois, em 1972, a sede é inaugurada pelo então ministro das Obras Públicas e Comunicações, Rui Sanches.

Foram regentes da Euterpe ao longo da sua história Tomás Francisco de Medeiros, António de Sousa Hilário Júnior, Urbano Rodrigues Guiomar, Gaspar de Castro Neves, Francisco Xavier Simaria, Manuel Pereira Dutra Júnior, Manuel Dutra da Silva Goulart Júnior, João Xavier Ramos, João Maria Andrade de Sousa Hilário, António Pixes, Tomás Pacheco da Rosa, Ramiro de Sousa Pereira, Eduardo Alberto Azevedo Costa, António de Medeiros, Hélder Manuel Correia de Freitas, Yuri Pavtchinski e José Amorim Faria de Carvalho, actual maestro da Euterpe.

No seio da Euterpe surgiu também, em 1977, um grupo Folclórico, que procurava dar a conhecer as danças, músicas e cantares de outrora. Em 1991 o Grupo apresenta novos trajes, que procuravam testemunhar as diferentes actividades e os diferentes estratos sociais de outros tempos, passando a designar-se por Grupo Etnográfico de Castelo Branco.

Ao longo da sua história a Euterpe teve também um Grupo Coral Juvenil e um Grupo Folclórico Infantil, ambos já estintos.

 

Programa das Comemorações:

Hoje, dia 11 de Maio

19h00 – Abertura da Exposição alusiva aos 100 Anos da Euterpe

Local: Centro Paroquial Padre José Correia da Rosa

19h00 – Missa de recepção ao Núncio Apostólico, na sua visita ao Faial, com a participação de músicos da Euterpe

Local: Igreja Matriz do Santíssimo Salvador

21h30 – Concerto da JC Band, com a participação de músicos da Euterpe

Local: Teatro Faialense

Amanhã, dia 12 de Maio

15h00 – Abertura da Exposição alusiva aos 100 Anos da Euterpe

Local: Centro Paroquial Padre José Correia da Rosa

17h30 – Concentração na sede da banda e hastear da bandeira

18h00 – Saída do desfile do Império da Coroa Nova em direcção à Igreja Paroquial

18h30 – Descerramento de placa de homenagem aos sócios já falecidos

Local: Casa das Almas (anterior sala de ensaios da Euterpe)

19h00 – Missa Solene de Aniversário, acompanhada pelo Coral de Santa Catarina

Local: Igreja Paroquial de Santa Catarina

21h00 – Sessão Solene, seguida de jantar

Local: Pavilhão Desportivo de Castelo Branco

Domingo, 13 de Maio

19h00 – Abertura da Exposição alusiva aos 100 Anos da Euterpe

20h30 – Apresentação do projecto de construção do Centro Cultural e Recreativo de Castelo Branco

21h00 – Actuação do Grupo Etnográfico de Castelo Branco

– Actuação dos alunos da Escola de Música da Euterpe

– Actuação do Coral de Santa Catarina

Local: Centro Paroquial Padre José Correia da Rosa

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO