Fontes renováveis vão produzir metade da energia dos Açores

0
12

Estima-se que, dentro de uma década, mais de metade da energia produzida nos Açores seja feita  apartir de fontes renováveis.

A informação foi avançada pelo presidente da EDA, Empresa de Electricidade dos Açores (EDA), numa recepção ao comissário europeu da Política Regional, Johannes Hahn.

As energias renováveis são responsáveis actualmente por mais de metade da produção de energia eléctrica na ilha de S. Miguel e “podemos estar muito próximos dos 48 % só na geotermia em S. Miguel. Com a eólica e a hídrica, podemos estar numa zona muito próxima dos 57 ou 58 por cento”, afirmou Duarte Ponte, que falava durante uma visita do comissário europeu da Política Regional, Johannes Hahn, à Central Geotérmica do Pico Vermelho.
No ano passado, a geotermia contribuiu com 22% para a produção de energia eléctrica nos Açores, ascendendo essa contribuição a 42% em S. Miguel.
Este aumento de produção a partir de fontes renováveis “significa que, durante a noite, haverá dificuldades em colocar toda a energia na rede, o que obriga a EDA a trabalhar num processo de armazenagem de energia”.
A estimativa do presidente da EDA é que, caso seja bem-sucedido o projecto de geotermia na ilha Terceira, em meados desta década a taxa de penetração das energias renováveis possa ultrapassar os 50 por cento nos Açores, o que terá um importante impacto ao nível do desenvolvimento regional e  representará “uma independência dos Açores em relação a um custo que tem tendência sempre para aumentar, que é o consumo de petróleo que utilizado para produzir energia eléctrica”.
O comissário europeu da Politica Regional, Johannes Hahn, considerou que os projectos de aproveitamento de energias renováveis são “uma excelente ideia”, frisando que são um dos melhores investimentos que podem ser feitos para reduzir a dependência do petróleo.
Nesse sentido, Johannes Hahn acrescentou que investimentos deste género devem continuar e ser alargados, já que reduzem a dependência dos Açores em relação ao fuel e favorecem a economia.


O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO