Formação tem um “papel determinante” para a intervenção em casos de violência doméstica e de género

0
14
blank
DR

A Secretária Regional da Solidariedade Social destacou hoje, em Vila do Porto, a importância da formação dos técnicos que integram os Polos Locais de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género para lidarem com as novas situações que se vão colocando no dia-a-dia.

Andreia Cardoso, que falava no final de uma visita ao Polo Local de Prevenção e Combate à Violência Doméstica de Santa Maria, no âmbito da visita do Governo a esta ilha, destacou a intenção do Executivo açoriano de reforçar os domínios da prevenção e da intervenção junto das vítimas e dos agressores.

“O reforço destes dois domínios passa pela capacidade dos técnicos em lidar com situações novas, tendo em conta que a realidade social não é estática e que os desafios se colocam diariamente, pelo que é fundamental ter pessoas capacitadas e habilitadas e, nesse sentido, a formação tem um papel determinante”, disse a Secretária Regional.

Andreia Cardoso assistiu a uma apresentação, no âmbito das comemorações do 10.º aniversário daquele Polo Local, designada ’10 Anos, 10 Casos de Sucesso’, salientando a importância do balanço que foi feito “para que todos tenhamos consciência do nosso papel e nos sintamos motivados a continuar este trabalho com duas componentes muito relevantes”.

“Por um lado, no domínio da prevenção, que se quer cada vez mais destinada a públicos mais jovens, tal como preconiza o III Plano Regional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género, de forma a não perpetuar as realidades que podem ter vivenciado em casa”, afirmou.

Por outro lado, acrescentou Andreia Cardoso, para “reforçar o trabalho de intervenção junto das vítimas e dos agressores, porque só assim as vítimas sentirão confortáveis para procurar os técnicos dos Polos, de modo a que a sua situação seja acompanhada e resolvida”.

A implementação dos Polos Locais de Prevenção e Combate à Violência Doméstica, foi uma das medidas previstas no I Plano Regional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e reforçada através do II e do III Plano Regional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género.

Na ilha de Santa Maria, o Recolhimento de Santa Maria Madalena é a entidade gestora do Polo Local desde outubro de 2010, disponibilizando também o Centro de Acolhimento e Emergência Temporário, que permite o acolhimento de vítimas em situação de risco acompanhadas ou não dos seus filhos.

O Polo Local de Santa Maria acompanha atualmente 56 casos de violência ou situações de vítimas de violência doméstica.