Francisco Rosa sucede a Davide Marcos na presidência da CCIH

0
48
blank
Francisco Rosa CCIH

Francisco José Menezes da Rosa tomou posse como presidente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta (CCIH) a 12 de novembro de 2021, sucedendo a Davide Marcos. Tem 56 anos, é gerente comercial e representa a terceira
geração de empresários na família. É formador certificado na área da informática e tem um longo percurso profissional como operacional de agência de navegação e em direção técnica da Atividade Transitária.

Em entrevista ao Tribuna das Ilhas (TI), o presidente da associação de empresários fala sobre esta responsabilidade de dirigir uma Câmara de Comércio e dos seus desafios.

TI – O que o motivou a concorrer para a presidência da CCIH? Que pessoas constituem a atual direção?
Francisco Rosa (FR) – O primeiro motivo foi a vontade de mudança, a vontade de ver novamente o associativismo funcionar, sentar pessoas à mesma mesa a discutir problemas que são comuns, transversais a toda a actividade económica, devido à nossa fragilidade e dependência directa ou indirecta uns dos outros, uma vontade intrínseca de gerar consensos. Como frequentador assíduo das assembleias gerais, geralmente pouco frequentadas, nas quais sempre fui crítico, de forma construtiva, em relação ao estado das coisas e à maneira como os destinos da instituição estavam a ser geridos, era meu dever arranjar uma solução na tentativa de reverter o sentido dos acontecimentos, e devolver a instituição aos seus associados.
A direcção é composta por empresas/pessoas inquietas, diferentes, com energia, mas com um objectivo único e comum, viabilizar a instituição, respeitando-a pelo que é, e devolvendo a sua credibilidade, tornando-a um activo importante para os seus associados e para a sociedade.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura