Governo dos Açores congratula-se com decisão da Comissão Europeia de reconhecer seis ilhas como indemnes de ‘Varroa’

0
11
blank
DR

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas manifestou hoje a satisfação do Governo dos Açores com a decisão da Comissão Europeia de reconhecer como indemnes de ‘Varroa’ as ilhas do Corvo, Graciosa, São Jorge, Santa Maria, São Miguel e Terceira, considerando ser uma “excelente notícia” para o setor apícola no arquipélago.

“Este reconhecimento pela Comissão Europeia é motivo de grande orgulho para Portugal, para os Açores, e é o resultado do empenho e do trabalho desenvolvido na Região pelo setor apícola e pelas autoridades veterinárias, constituindo também mais uma oportunidade para que o mel dos Açores seja ainda mais valorizado”, afirmou João Ponte, numa reação à decisão da Comissão Europeia.

Para além disso, este reconhecimento dota a Região de uma ferramenta legal que lhe permite salvaguardar os interesses do setor apícola, limitando a entrada de materiais nas ilhas apenas aos que sejam provenientes de zonas com o mesmo estatuto.

O governante salientou que a apicultura desempenha um papel muito importante para o setor agrícola pelo contributo das abelhas enquanto polinizadoras naturais, o que contribui para aumentar a rentabilidade das explorações, mas também na polinização de outras plantas, preservando-as e, consequentemente, dando um contributo para o equilíbrio do ecossistema e a manutenção da biodiversidade.

“Todo o trabalho que tem vindo a ser feito em termos de sanidade está a dar frutos e é para continuar, por se tratar de algo fundamental para garantir um desenvolvimento saudável, rentável, inovador e competitivo do setor apícola”, referiu João Ponte, acrescentando que este reconhecimento de ilhas indemnes de ‘Varroa’ é um dos vários objetivos estabelecidos no Plano Estratégico para a Apicultura nos Açores.

João Ponte adiantou que este Plano Estratégico é um documento fundamental para o desenvolvimento sustentável do setor do mel na Região.

Segundo disse o governante, o Plano prevê no âmbito da sanidade, por exemplo, a criação de medidas de controlo efetivas que possam agora garantir a manutenção da indemnidade nas ilhas que alcançaram este objetivo, avaliar a implementação de uma estratégia piloto para erradicação total da ‘Varroa’, bem como a criação de um plano de contingência com o propósito de evitar a entrada na Região de outras pragas e doenças.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO