Governo dos Açores enaltece papel dos produtores e das respetivas associações no desenvolvimento da fileira da carne

0
10
DR

O Diretor Regional da Agricultura, José Élio Ventura enalteceu, na ilha Terceira, o papel de um grupo pioneiro de produtores açorianos, que trouxeram para a Região e para Portugal uma raça de carne cheia de potencialidades, como é o caso da Aberdeen Angus, bem como o papel das organizações de produtores, em parceria com o Governo dos Açores, no desenvolvimento desta fileira.

“Esta raça chegou a Portugal a partir do Atlântico e desde o primeiro momento que o Governo dos Açores tem apoiado e acarinhado este projeto, quer através da aquisição inicial de novilhas, no âmbito do POSEI, apoiando a associação através do PRORURAL+ ou através de outros instrumentos de apoio, possibilitando o registo de animais e a cedência de espaço digno para o funcionamento da associação”, referiu José Élio Ventura.

O Diretor Regional da Agricultura falava no âmbito das comemorações do décimo aniversário da Associação de Criadores de Aberdeen-Angus Portugal e da sétima edição do Dia de Campo da raça, que decorreu em Angra do Heroísmo e que contou também com a presença do Diretor Regional do Desenvolvimento Rural, Valter Braga.

“Há 10 anos atrás existiam 16 produtores da raça Aberdeen Angus nos Açores e em Portugal Continental, mas presentemente já existem 194, sendo que ao nível dos animais passamos de 104 para 3.516 fêmeas adultas, o que dá bem nota do crescimento que esta raça tem tido”, referiu José Élio Ventura, acrescentando que as características dominantes desta raça refletem uniformidade na qualidade da carcaça e da carne, elementos essenciais para a potenciação de mercados de qualidade.

Para José Élio Ventura é, sem dúvida, uma mais valia, desde logo económica, o facto desta associação de âmbito nacional ter sede na ilha Terceira, bem como existirem nos Açores dois dos principais livros genealógicos de raças de carne, nomeadamente a Simmental Fleckvieh e a Aberdeen-Angus.

Além das alterações ao programa POSEI, com o objetivo de reforçar a fileira da produção de carne nos Açores, da implementação de uma série de programas para aquisição de reprodutores machos de raças puras ou de cruzados, para melhoria genética dos animais em explorações de leite, o Diretor Regional da Agricultura salientou que o Governo Regional investiu nos últimos três anos 15 milhões de euros na modernização da rede regional de abate e na respetiva certificação pela norma da qualidade e da segurança alimentar, a ISO 22000.

“Tratam-se de contributos importantes para a valorização da carne, para a fidelização de clientes e abertura de novos mercados”, disse José Élio Ventura, acrescentando que a criação do Centro de Estratégia para a Carne dos Açores (CERCA), que tem entre os sócios fundadores a Federação Agrícola e a Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, tem sido essencial para aperfeiçoar os mecanismo de promoção, valorização e análise dos mercados da carne.

O Diretor Regional da Agricultura manifestou a total disponibilidade do Governo Regional para continuar a ajudar o setor crescer e, particularmente, a Associação de Criadores da Raça Aberdeen-Angus Portugal a desenvolver a sua atividade, ajudando a melhorar o rendimento dos produtores, encontrar novos mercados e no fundo a desenvolver o setor da carne.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO