Governo dos Açores leva pescadores de Rabo de Peixe ao EXPOLAB para aula de Microbiologia

0
11
DR

A Direção Regional das Pescas, em colaboração com o EXPOLAB, na Lagoa, organizou uma aula de Microbiologia dirigida aos pescadores de Rabo de Peixe que estão a frequentar cursos de dupla certificação.

A iniciativa, segundo o Diretor Regional das Pescas, pretendeu “apresentar, de uma forma simplificada, os procedimentos necessários para uma maior valorização do pescado, desde a captura até ao desembarque em lota, tendo por base a minimização do processo de deterioração natural do pescado”.

Luís Rodrigues destacou, nesse sentido, “a importância das normas de higiene a bordo e o correto manuseamento e conservação do pescado a bordo para garantir a qualidade do peixe capturado e, consequentemente, a sua valorização comercial”.

Durante a aula, que decorreu sábado, cerca de duas dezenas de formandos fizeram uma demonstração microscópica, com recurso a microrganismos relacionados com a contaminação de pescado.

“Os formandos puderam observar, através de um microscópio, microrganismos, parasitas e até saber a idade do peixe, com recolha de otólitos”, referiu o Diretor Regional.

“Com esta demonstração bacteriológica, quisemos alertar os pescadores para a necessidade de uma correta estiva e manuseamento do pescado para a mitigação de contaminações bacteriológicas”, acrescentou Luís Rodrigues.

O Diretor Regional frisou que, “a partir do momento em que o pescado é capturado, inicia-se a sua degradação, sendo que o frio, o manuseamento e um ambiente limpo determinam o preço do pescado em mercados de alto valor”.

“Esta iniciativa é um bom exemplo da determinação do Governo dos Açores em promover uma geração de pescadores que sabe rentabilizar os produtos da pesca”, afirmou, salientando que “em todas as atividades formativas, a Direção Regional das Pescas tem vindo a incluir módulos relacionados com a valorização do pescado”.

O Diretor Regional destacou ainda que “mais de 700 marítimos dos Açores têm beneficiado de ações formativas, sendo que mais de uma centena e meia estão a frequentar ou frequentaram cursos de escolarização”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO