Governo dos Açores promove rentabilização da fileira florestal com concurso internacional

0
9

O Governo dos Açores decidiu proceder à venda de cerca de 104 hectares de criptoméria na ilha de São Miguel, no âmbito da dinamização da fileira da madeira, uma das medidas que consta da Agenda Açoriana para a Criação de Emprego e Competitividade Empresarial.

 

Esta decisão consta de uma Resolução recentemente aprovada em Conselho do Governo, hoje publicada em Jornal Oficial, que autoriza a Secretaria Regional dos Recursos Naturais a realizar os procedimentos para o concurso público internacional para venda destes primeiros 103,6 hectares.

 

Trata-se da primeira fase deste projeto de incremento da utilização comercial de matas públicas com o qual o Governo dos Açores pretende potenciar a criação de novos postos de trabalho diretos e indiretos, bem como o incremento das exportações da Região.

 

A Resolução agora publicada tem em conta as conclusões favoráveis do estudo de incidências ambientais entretanto realizado e os objetivos estratégicos de potenciar a criação de emprego por parte de privados nos Açores, através das atividades de corte e replantação de árvores, mas também da indústria de transformação de madeiras.

 

Considerando a rentabilização sustentável dos 4.500 hectares de matas de criptoméria que são propriedade da Região, é intenção do Governo dos Açores proceder, mediante concurso público internacional e no âmbito da normal gestão florestal, à venda, que inclui o corte de madeira, e à adjudicação da prestação de serviços para execução, imediata e simultânea, da reflorestação das áreas cortadas.

 

 

Estes primeiros 103,6 hectares estão localizados nas unidades de gestão florestal dos Núcleos Florestais da Tronqueira, Achadinha, Lomba de São Pedro e Água Retorta, inseridos no perímetro florestal da Ilha de São Miguel, e nas Matas Regionais do Pico Maria da Costa e Bispos/Labaçal, nos concelhos de Nordeste, Ribeira Grande e Povoação.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO