Governo dos Açores quer processo de revisão da PAC pós 2020 participado, transparente e construtivo, afirma João Ponte

0
12
DR

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que o objetivo da Comissão de Acompanhamento da Revisão para a Política Agrícola Comum (PAC) no período 2021/2027 é envolver todos os parceiros do setor nas diferentes fases, recolher opiniões e pareceres, tendo em vista alcançar uma PAC que responda aos desafios da agricultura nos Açores, ou seja, capaz de ajudar a continuar a modernizar as infraestruturas, as indústrias, a atrair mais jovens e a melhorar a valorização das produções e, por via disso, o rendimento dos agricultores.

“Vamos entrar neste ano numa fase, que se prolonga para o próximo, muito importante da construção do plano estratégico nas respetivas intervenções e no modelo de governação e queremos fazer esse trabalho envolvendo os diferentes parceiros do setor agrícola nos Açores”, referiu João Ponte, na abertura da reunião daquela Comissão de Acompanhamento, em Ponta Delgada.

Para João Ponte, através de um processo “participado, transparente e construtivo”, envolvendo diferentes parceiros do setor nas várias fases de elaboração da próxima Política Agrícola Comum, o Governo Regional pretende vir a ter um Programa de Desenvolvimento Rural capaz de continuar a desenvolver a agricultura nos Açores.

Integram a Comissão de Acompanhamento da Revisão da Política Agrícola Comum para o período 2021/2027 a Federação Agrícola dos Açores, vários departamentos do Governo Regional, a Aflorestaçores – Associação Florestal dos Açores, representantes das associações de agricultura biológica, da área da diversificação agrícola, do CALL, da CERCA, dos Grupos de Ação Local e da CVR Açores.

João Ponte, em declarações aos jornalistas, frisou que os objetivos estratégicos da Região para a próxima PAC mantêm-se, como seja a anulação dos 15% da redução das verbas do 2.º pilar, a redução da taxa de cofinanciamento da Região de 30 para 15% e, ao nível do POSEI, para além da reposição do montante do atual envelope financeiro, pretende-se que os agricultores nos Açores beneficiem da mesma taxa de crescimento prevista para os agricultores do continente nas ajudas do 1.º pilar.

Desde 2017 que o Governo dos Açores está a trabalhar na revisão da PAC pós 2020, em articulação com a Federação Agrícola dos Açores, com os membros do Conselho Regional da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e com o Governo da República.

Na abertura da reunião, João Ponte adiantou que está prevista, em março, a disponibilização aos membros da Comissão de Acompanhamento dos primeiros documentos referentes ao plano estratégico da PAC para os Açores, para efeitos de apreciação e recolha de contributos.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO