Governo Regional está a esconder os planos que tem para o futuro da SATA

0
45
DR/BE
DR/BE

O Bloco de Esquerda acusa o Governo Regional do PSD, CDS, e PPM de esconder as contas e os seus planos para o futuro da SATA. Quando estavam na oposição estes partidos exigiam a divulgação imediata do Plano de Reestruturação da SATA, mas agora escondem esta informação. António Lima anunciou que o Bloco de Esquerda vai propor uma auditoria do Tribunal de Contas à empresa e quer que o Governo divulgue o Plano de Reestruturação da SATA imediatamente.

“A transparência exige-se para o passado, o presente e o futuro”, por isso, o Bloco de Esquerda defende uma auditoria às contas da SATA e a apresentação imediata do Plano de Reestruturação.

“O Governo Regional do PSD, CDS, PPM, apoiado pelo CHEGA e IL, mantém a opacidade sobre a SATA, não colocando as contas a claro, nem apresentando os seus planos para a empresa”, disse o deputado do Bloco numa declaração política, hoje, no plenário do parlamento dos Açores.

Sobre o Plano de Reestruturação, António Lima salientou as semelhanças entre o discurso do atual secretário das Finanças e o que dizia a secretária dos Transportes do anterior governo do PS: “O plano será apresentado quando estiver aprovado”.

“Voltamos à mesma história que o PSD criticava, mas que, agora que está no Governo, faz exatamente o mesmo: esconde o Plano de Reestruturação”. Uma situação que agora até é mais grave, porque o plano já está em parte a ser implementado, como é o caso das pré-reformas na empresa.

“O parlamento e os açorianos serão os últimos a conhecer o Plano de Reestruturação da SATA”, lamentou o deputado do Bloco.

António Lima lamenta ainda que o secretário regional das Finanças tenha procurado “criar um clima de terror” sobre a situação que se estava a viver na SATA, ao anunciar, em dezembro, que a companhia aérea tinha que devolver 73 ME ao Governo Regional, apesar de a Comissão Europeia não ter tomado ainda uma decisão sobre este processo.

Com estas declarações, o secretário regional das Finanças “prejudicou a SATA, assustou os açorianos e os trabalhadores da empresa”, com o objetivo de preparar o caminho para os cortes salariais de 20% que o Governo quer impor.

O Bloco de Esquerda reafirmou aquilo que defende para o futuro da SATA: a manutenção da companhia como empresa totalmente pública, focada nas rotas inter-ilhas, com o continente e com a diáspora.

“Defendemos uma SATA pública, porque defender uma SATA pública é defender os Açores e defender os Açores é defender a SATA. Uma SATA que possa ser fator de coesão e instrumento económico de desenvolvimento. Uma empresa devidamente compensada pelos serviços que presta à Região”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO