GPPS/A recomenda ao Governo dos Açores a adoção de medidas excecionais em defesa do Setor da Agricultura da Região

0
32

“Não obstante o muito que já foi feito, o caminho a percorrer ainda é longo e implicará a participação de diversas entidades, regionais, nacionais e europeias, de modo a reduzir ao mínimo possível os inevitáveis impactos da atual crise pandémica e a salvar o Setor Agrícola, e todos os seus intervenientes, de uma crise que se estenderá para além do fim da pandemia, caso não se unam esforços e se reforce o apoio a um setor indispensável na Economia Regional”, afirmou esta quinta-feira António Toste Parreira  durante o debate em Plenário, que reuniu por videoconferência.

Consequentemente, “o Grupo Parlamentar do Partido Socialista apresenta o Projeto de Resolução 227/XI que recomenda ao Governo dos Açores a adoção de medidas excecionais em defesa do Setor da Agricultura da Região, medidas essas que passarão, pelo reforço dos mecanismos de auscultação permanente dos parceiros do Setor, de modo a acompanhar com proximidade a evolução do mesmo na atual situação de crise e no contexto particular de cada uma das ilhas.”

O Projeto de Resolução, aprovado em Plenário por unanimidade, refere a necessidade de se recomendar “ao Governo da República que diligencie junto da Comissão Europeia pela antecipação dos pagamentos das ajudas no âmbito do POSEI e do ProRural+, e a criação de medidas concretas de apoio ao rendimento dos produtores das fileiras mais afetadas pela Pandemia COVID-19”, explicou o deputado socialista.

O GPPS/A recomenda, também, ao Governo Regional “que avalie a criação de mecanismos de apoio aos diversos intervenientes do setor, e que estabeleça contactos e parcerias com a grande distribuição, com vista a reforçar a visibilidade e notoriedade dos produtos açorianos junto do mercado nacional e aumentar o comércio e penetração dos mesmos”, esclareceu António Toste Parreira.

Por sua vez, a deputada Mónica Rocha mostrou-se particularmente preocupada com a atual situação do setor leiteiro, condenando neste processo “a falta de diálogo e de solidariedade entre a indústria e os agricultores de São Miguel, Terceira e Graciosa, e a imposição de penalizações assentes em flutuações de mercado pontuais”.

A deputada do GPPS/A, adiantou, porém, que “acreditamos que os níveis de consumo do leite estabilizarão e aguardamos com expectativa que assim que aconteça a indústria seja igualmente lesta na reposição do preço do leite”.

“O Partido Socialista continuará, como sempre, focado em contribuir para a criação ou apoio de mecanismos e políticas públicas, que no imediato salvaguardem o rendimento dos produtores, mantenham os níveis de atividade e produção e potenciem, dentro do possível, estabilidade e segurança, de modo a que se consiga num futuro próximo retomar a tão desejável normalidade”, concluiu Mónica Rocha.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO