Grupo Parlamentar do PS preocupado com a eficácia da promoção turística da Região

0
31
DR/PS
DR/PS

O Grupo Parlamentar do PS entregou, esta segunda-feira, um requerimento no qual questiona o Governo Regional sobre questões relacionadas com o contrato-programa celebrado entre a Região e a Associação de Turismo dos Açores, a entidade responsável pela promoção do destino Açores, em termos turísticos.

Na missiva, assinada pelos deputados Vílson Ponte Gomes, Carlos Silva e Sandra Dias Faria, os socialistas pretendem obter “cópia integral do contrato-programa celebrado entre o Governo Regional e Associação de Turismo dos Açores, referente ao ano de 2021”.

Vílson Ponte Gomes explica que, para o Partido Socialista, é “importante identificar bem os objetivos e metas constantes neste contrato-programa”, mas também a “fundamentação e cronograma das medidas e ações realizadas pela ATA, na execução do referido contrato programa”, informações solicitadas ao Executivo.

Os socialistas pretendem, ainda, que o Governo forneça a lista completa das entidades contratadas ou subcontratadas pela ATA para a execução do referido contrato programa.

Vílson Ponte Gomes realça que, nos últimos anos, a promoção turística do destino Açores tem cabido à ATA, “através de sucessivos contratos-programa celebrados com o Governo Regional”, mas o ano 2021 “foi o primeiro em que nada conhecemos das metas e objetivos”, o que “dificulta a avaliação sobre se a associação, e a própria Região, estão a ter sucesso nesta missão”.

“Sobre a promoção do destino Açores no ano 2021, apenas sabemos uma coisa: que foi celebrado um contrato-programa entre a Região e a ATA, no valor de 2,85 milhões de euros”, assinalou o parlamentar do PS.

“A promoção turística da Região deve assentar em planos e ações concretas, que tenham resultados nos mercados externos”, considerou Vílson Ponte Gomes.

Por outro lado, vincou, “não faz sentido que a ATA e a SATA andem de costas voltadas”, com “a SATA a decidir rotas de forma desarticulada com a ATA” e a “solicitar apoios à ATA para as operações aéreas que se vão realizar neste verão e que terão recebido, de acordo com o Presidente do Conselho de Administração da SATA, Luís Rodrigues, uma resposta afirmativa numa fase inicial, mas com o apoio a vir mais tarde a ser recusado, alegadamente por falta de verbas”.

“Estamos a falar da promoção do destino Açores, daquilo que ajuda os turistas, nacionais e estrangeiros, a optar pela Região como local de gozo de férias e essas ações são financiadas com o dinheiro dos Açorianos. O PS considera, por isso, que o Governo tem a obrigação de esclarecer exatamente o que foi protocolado com a ATA, porque em causa estão, 2,85 milhões de euros e desconhecemos que objetivos e metas terão sido, ou não, atingidos, em termos de promoção turística da Região, em 2021”, finalizou o deputado socialista, Vílson Ponte Gomes.