Ignaros Patetas

0
27
DR/TI
DR/TI

Eu sei. Eu sei que o título é redundante, mas um adjetivo apenas não consegue qualificar o que se passa entre pessoas dum certo partido que entrou com direito a passadeira vermelha na solução governativa que tem, de momento, o futuro dos Açores e dos açorianos nas suas mãos.
O cenário adivinhava-se complicado pela multiplicidade de cores e egos (alguns decrépitos outros apenas sem noção) que sustentam este executivo regional. Imaginem quantas chamadas e negociatas tem Bolieiro que fazer para agradar a tantos. Uma tarefa hercúlea, digna de um real sucessor na regência de qualquer regime semi-imperial. Como em qualquer Império, quando quem manda – ou quem sustenta quem manda – está mais preocupado consigo e com as suas teias de interesses do que com o evoluir da condição social, económica e cultural de um povo a coisa começa a se fragmentar.
Surpresa? Para ninguém que tenha testa, nem precisos são os dois dedos.
O que se passou no passado fim de semana num certo partido levou a que o atual líder nos Açores pedisse a demissão. Adivinha-se uma luta a dois, ambos deputados regionais, para o domínio dessa estrutura. Se for o atual, Bolieiro pode ter sorte. Se for o outro veremos se a maioria parlamentar se – e até quando – aguenta.
Por acaso estava cá no arquipélago o big boy do partido a nível nacional, uma pessoa cheia de si e que teve nas Legislativas dos Açores a sua primeira “grande vitória” eleitoral apesar de não ser candidato. Pois agora já parece menos brilhante o resultado já que nem o próprio partido consegue manter unido. Se calhar ainda bem, para todos nós.
E isto tudo porquê? Porque o atual deputado não líder veio para as redes sociais criticar o aumento de beneficiários do Rendimento Social de Inserção na região.
Mas achava o que? Que esta economia arquipelágica pujante, em tempo de pandemia ainda por cima, iria conseguir abarcar a mão de obra? Onde? Em que setor? Acha mesmo que todos eles simplesmente não querem trabalhar porque aqueles cento e tal euros dão para fazer vida de luxo?
Acho que já chega de tornar todos os RSI’s bodes expiatórios do que de pior acontece na região e no país. Há aproveitadores? Sim. Há gente que precisa realmente e a sorte não sorri? Sim. Há ilhas que não tem estrutura de empregar toda esta gente? Sim. Há estudantes que precisam deste apoio miserável para conseguirem estudar? Sim.
Generalizar é feio e enquanto um todo devemos por os olhos nisto. Em qualquer partido há partes mais moderadas e outras mais extremas, mesmo nos de extrema direita. O que fica a nu é uma franja de militantes que não tem noção de nada e o que defende não nos fará bem. A nenhum de nós. Se uns são maus há daqueles que são mesmo vilões.
Isto tudo e ainda nem o Plano e Orçamento de 2021 subiu a Plenário. É o que dá estar sujeitos a ignaros patetas.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO