Ilha do Pico tem grandes potencialidades para o crescimento do setor agrícola, afirma João Ponte

0
9
DR

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que o Pico tem grandes potencialidades para o crescimento da agricultura, tanto na área da vitivinicultura, como na produção de carne de bovino, na fruticultura e horticultura e também na produção de leite, garantindo que o investimento público previsto para o setor no Plano para 2020 nesta ilha ajudará a impulsionar o desenvolvimento económico do Pico.

“Apesar dos desafios inerentes à orografia e ao solo, o Pico é uma ilha cheia de potencialidades, desde logo ao nível agrícola, cujo engenho, dedicação e resiliência dos seus agricultores e organizações de produtores têm sido fundamentais para desenvolver um setor com grande impacto económico, gerador de riqueza e emprego, mas também com grandes benefícios ambientais e na paisagem”, referiu João Ponte, no âmbito das comemorações do Dia do Agricultor na ilha do Pico.

O governante destacou que, nesta ilha, 57% dos agricultores estão ligados à produção de carne de bovino, 36% à vitivinicultura e 5,5% à produção de leite, indicadores que traduzem a realidade do setor agrícola na ilha.

“Falar de agricultura no Pico é falar em cerca de 850 produtores, que correspondem a 12% na Região, dos quais 74% são homens e 26% são mulheres, com uma média etária de 53 anos”, frisou João Ponte.

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas destacou que o Pico já produz produtos de grande qualidade, como manteiga, queijos, vinhos e mel, que são uma imagem de marca da ilha e necessitam que o setor trabalhe ainda mais para garantir uma melhor valorização e a sustentabilidade da agricultura nesta ilha.

A estratégia de modernização das infraestruturas agrícolas continua a ser um dos objetivos centrais do Governo Regional dado o impacto direto que proporcionam na melhoria das condições de trabalho dos agricultores, na competitividade e na eficácia das explorações, traduzindo-se, por essa via, num aumento do rendimento dos produtores.

“No Pico, ou noutra ilha da Região, o Governo Regional tem procurado dotar o setor agrícola de melhores condições de trabalho, melhores vias, melhores infraestruturas para facilitar a vida aos agricultores, para reduzir custos de produção e, sobretudo, para melhorar a competitividade do setor agrícola”, afirmou João Ponte.

Em 2020, disse o governante, está previsto concretizar no Pico as obras nos caminhos rurais do Landroal e da Rosada, bem como construir os reservatórios do Landroal e do Paúl.

Por outro lado, os 135 projetos de modernização aprovados no Pico no atual Quadro Comunitário de Apoio, que representam um investimento total de 10 milhões de euros, bem como os 45 projetos aprovados de primeira instalação de jovens agricultores, com uma despesa pública de dois milhões de euros, são um elemento que João Ponte considerou serem uma demonstração clara de confiança no futuro do setor agrícola na ilha do Pico.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO