Importância da Base das Lajes e posição geoestratégica dos Açores têm de ser promovidas

0
32
DR/PSD
DR/PSD

A deputada do PSD/Açores na Assembleia da República, Ilídia Quadrado, considera fundamental “a continuidade dos programas de cooperação bilateral da Região”, no âmbito do seu desenvolvimento económico e social, destacando a Base das Lajes e a posição geoestratégica do arquipélago.

A social democrata falava durante uma audição do Ministro dos Negócios Estrangeiros sobre a 44ª reunião da Comissão Bilateral Permanente entre Portugal e os Estados Unidos da América (EUA), onde salientou “a importância de se continuar a salientar e a promover esse posicionamento geoestratégico, que pode trazer benefícios diretos para os Açores”, referiu.

Ilídia Quadrado lembrou que é essencial “atrair novos investimentos dos EUA para os Açores. São questões que, por norma, demoram a ocorrer, pelo que se impõe acelerar a operacionalização desse objetivo”, avançou, defendendo que “deve haver uma noção concreta da natureza desses investimentos, e cabe ao Governo da República informar sobre a sua concretização”.

Sobre o reforço da cooperação científica e tecnológica entre Portugal e os EUA, a deputada açoriana que a aposta “numa economia digital transatlântica livre, aberta e inovadora será um bom princípio, mas também carece de esclarecimentos do Estado relativamente às ações que poderão conduzir a este outro objetivo, tão importante nos dias de hoje”, acrescentou.

Relativamente a uma maior colaboração com os EUA no campo da segurança marítima e no desenvolvimento das capacidades de defesa no Atlântico, a deputada questionou Augusto Santos Silva sobre o papel do Atlantic Centre, querendo saber “como será essa colaboração, e se serão destacados mais meios para assegurar a referida defesa?”, perguntou.

“De que modo é que esta medida vai beneficiar Portugal, em concreto os Açores, e como estará envolvida a utilização da Base das Lajes nesse desiderato?”, adiantou Ilídia Quadrado.

A social democrata concluiu frisando, “se estamos perante uma oportunidade para refrescar esta relação transatlântica, e atendendo à nova administração americana, deixo um apelo para que esse alinhamento entre países possa ser, de facto, eficaz e com consequências diretas a curto prazo”, disse.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO