Instrumentos de Financiamento e medidas de Apoio à Empregabilidade apresentados às Empresas de Construção Civil dos Açores

0
9
DR

Numa iniciativa conjunta da Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores
(SDEA) e da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas dos Açores
(AICOPA) realizou-se esta sexta-feira, em Ponta Delgada, uma sessão designada por
Novas Estratégias para a Construção Civil nos Açores: Financiamento e Empregabilidade.
Esta ação destinada aos associados da AICOPA contou ainda com a participação da Garval
e da Direção Regional do Emprego e Qualificação Profissional, bem como com a
colaboração do Laboratório Regional de Engenharia Civil.

Na abertura dos trabalhos Vítor Fraga, Presidente do Conselho de Administração da SDEA,
referiu-se à importância do sector no contexto da economia Açoriana e de “um novo tempo e uma nova dinâmica que este possui hoje, fruto de um novo ciclo económico que nós
vivemos, alavancado pelo Turismo, mas transversal a todos os sectores de atividade”.
“A SDEA trabalha para ser um parceiro estratégico e uma referência no contexto
empresarial regional, visando o desenvolvimento sustentável das nossas empresas e da
nossa região, a nossa missão é contribuir para a conceção e execução de políticas de
estímulo ao desenvolvimento empresarial, visando o reforço da competitividade e
produtividade das empresas açorianas, bem como de promoção da inovação e do
empreendedorismo” realçou Vitor Fraga, que prosseguiu afirmando “estamos presentes em
toda a Região, com instalações próprias, como é o caso de São Miguel e Terceira e nas
restantes ilhas através das delegações da Vice Presidência do Governo dos Açores”.
A SDEA possui o Gabinete de Empresa, que tem como função informar e aconselhar os
empresários, investidores, empreendedores, acompanhando-os ao longo de todo o ciclo do
seu negócio, “é um gabinete que está sempre de portas abertas para auxiliar os nossos
empresários, nos últimos 3 anos fizemos cerca de 10.000 atendimentos, o que é
demonstrativo da importância que este serviço tem para os nossos empresários”.

A digitalização da economia e a Industria 4.0 é uma realidade incontornável nos dias de hoje e transversal a todos os sectores, num contexto de economia globalizada, a flexibilidade e a eficiência constituem aspetos cruciais para a competitividade das empresas, possibilitando a sua otimização operacional, gerando eficiências que potenciam a maximização dos seus resultados, neste contexto, as tecnologias digitais têm um papel crucial ao conferirem àsempresas a flexibilidade e a aproximação aos seus stakeholders, permitindo, inclusive, a sua integração nas suas próprias cadeias de valor. A este propósito Vítor Fraga afirmou que “esta é uma realidade que as empresas de construção civil e obras públicas não podem ignorar e que não podem ficar para trás, sob pena de colocarem em causa a sua sustentabilidade e competitividade, torna-se assim fundamental as nossas empresas introduzirem no seu processo produtivo e de gestão o BIM (Building Information Modeling)”, que permite uma comunicação mais fácil, completa e concisa entre os vários especialistas envolvidos num projeto (arquitetos, engenheiros, empreiteiros, proprietários).
Nesta ação foram apresentados os diversos programas de apoio à empregabilidade que
estão à disposição das empresas de Construção Civil e Obras Públicas, assim como
diversas linhas de financiamento, como a Linha de Crédito Capitalizar 2018: Micro e
pequenas empresas; Linha de Crédito Capitalizar 2018: Fundo de Maneio; Linha de Crédito
Capitalizar 2018: Plafonf de Tesouraria; Linha de Crédito Capitalizar 2018: Indústria
4.0/Apoio à digitalização; Linha Capitalizar Mais; Capitalizar Turismo 2018/2019.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO