Investimento de 46 milhões de euros prepara Porto de Ponta Delgada para o futuro, salienta o Presidente do Governo

0
27

O Presidente do Governo visitou hoje as obras de requalificação e reabilitação do Porto de Ponta Delgada, um investimento de cerca de 46 milhões de euros que vai permitir aumentar em 68% a capacidade do parque de contentores e a operação de três navios em simultâneo na área intervencionada.

“Este é um investimento de cerca de 46 milhões de euros, com uma comparticipação de fundos comunitários de cerca de 32 milhões de euros. No fundo, estamos a falar de futuro, de dotar este porto com a capacidade e com as condições de operacionalidade para o futuro”, afirmou Vasco Cordeiro.

Em declarações aos jornalistas, o Presidente do Governo adiantou que o Porto de Ponta Delgada recebeu, nos últimos seis anos, um montante de investimento de cerca de 100 milhões de euros, incluindo as obras de reconstrução dos danos provocados por temporais, mas também investimentos de reforço da sua capacidade operacional.

Segundo disse, a obra de 46 milhões de euros que arrancou este mês é comparticipada pelo COMPETE 2020, programa que, no âmbito dos fundos comunitários ao dispor da Região, tem cofinanciado um conjunto alargado de intervenções que estão a decorrer, ou que já estão concluídas, nas ilhas do Corvo, das Flores, do Faial, do Pico, de São Jorge e da Terceira.

“É importante que se registe que esse montante global de investimento, que permite estas obras, só é possível porque, da parte do atual Governo da República, houve a decisão de reforço dos fundos comunitários alocados à Região para este tipo de obras, num montante muito significativo e que quase duplicou o valor de fundos comunitários” para esse efeito, sublinhou Vasco Cordeiro.

Para além das obras programadas de requalificação, diversos portos da Região estão a receber também investimentos de recuperação dos estragos do furacão Lorenzo, nomeadamente nas ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico, Faial, São Jorge, Flores e Corvo.

No caso da ilha das Flores, está já em curso a obra de proteção de emergência, referiu Vasco Cordeiro, ao adiantar que todos os restantes investimentos estão em fase de concretização, de projeto, de ensaios em modelo reduzido ou de lançamento dos procedimentos necessários.

Recorde-se que, no início de outubro de 2019, o furacão Lorenzo provocou estragos estimados em cerca de 330 milhões de euros, com uma parte significativa referente a danos em diversas estruturas portuárias, tendo-se o Governo da República comprometido a apoiar 85 por cento desse montante.

As obras de beneficiação do Porto de Ponta Delgada, entre outras componentes, incluem o aumento do terrapleno, o que permitirá criar uma nova frente cais, que aumentará, em cerca de 9.500 m2, a área para parque de contentores.

Está ainda prevista a demolição do edifício conhecido como ‘Alfândega’ e a transformação desta área em parque de contentores, que passará a dispor de cerca de 17.000 m2.

Após concluída a empreitada, o Porto de Ponta Delgada poderá ter a operar em simultâneo três navios de contentores, “em linha” e no mesmo terrapleno, diminuindo o número de movimentações e ciclos de transporte, carga e descarga de contentores.

Está ainda prevista a construção de um novo edifício de ‘operações portuárias’, infraestruturas de abastecimento de energia ao parque de contentores e de iluminação de todo o terrapleno, com tecnologia LED, infraestruturas de redes técnicas, abastecimento de águas e incêndio, drenagem pluvial e esgotos, entre outras.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO