IPSS e Misericórdias demonstraram grande capacidade de adaptação à nova realidade, revela Andreia Cardoso

0
12
DR/GACS
DR/GACS

A Secretária Regional da Solidariedade Social afirmou hoje que as Instituições Particulares de Solidariedade Social e as Misericórdias da ilha Terceira com resposta de Creche e Jardim de Infância “demonstraram uma grande capacidade de adaptação à nova realidade”, salientando que prepararam “a reabertura de acordo com as orientações emanadas pela Direção Regional de Saúde e pela equipa técnica de acompanhamento aos planos de contingência”.

Andreia Cardoso falava, em Angra do Heroísmo, à margem de uma reunião com responsáveis das instituições com aquelas respostas sociais na ilha Terceira, num encontro que teve em vista fazer um balanço da reabertura das valências e do seu funcionamento com as novas regras que se impõem.

“Conclui-se que as instituições informaram devidamente os pais das novas regras e circuitos para entrega das crianças, o que trouxe alguma tranquilidade e segurança aos encarregados de educação”, disse a governante.

A Secretária Regional adiantou ainda que “a adesão dos pais foi aumentando com o tempo e esse reingresso de forma faseada também se revelou importante para as instituições”.

“Quanto às crianças, elas têm uma grande capacidade de adaptação e foram igualmente preparadas pelos pais para este regresso, o que tem contribuído para o bom funcionamento das valências”, frisou Andreia Cardoso.

Relativamente às preocupações atuais das instituições, Andreia Cardoso referiu que, com a chegada do verão e as habituais atividades da época, surgem algumas questões relacionadas com a possibilidade da sua realização, assim como em garantir o período de férias dos trabalhadores.

Segundo a Secretária Regional, “esta foi uma conversa construtiva, onde todas as partes partilharam as suas preocupações” e onde foram relembradas para a possibilidade de se candidatarem aos Contratos de Cooperação Valor Eventual para aquisição de equipamentos de proteção individual, bem como ao Programa de Colocação Extraordinário de Trabalhadores para substituição de trabalhadores por três meses.

“O Governo Regional assegurou o financiamento a 100% a estas instituições durante os dois meses que estiveram encerradas, mesmo com a redução de alguns custos durante este período, designadamente com a alimentação das crianças e a higiene dos espaços, com a redução da utilização de água e eletricidade, não esquecendo, em alguns casos, também com funcionários, quer por apoio à família ou outros motivos”, referiu Andreia Cardoso.

A responsável pela pasta da Solidariedade Social garantiu, no entanto, que, se existirem sobrecustos, o Governo dos Açores assegurará a comparticipação das despesas extraordinárias das instituições.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO