Lara Martinho apela à promoção do setor do leite e seus derivados

0
6
DR/PS
DR/PS

A deputada do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República, Lara Martinho, apelou, durante a audição regimental à Ministra da Agricultura, para que na nova estratégia de comunicação do Ministério seja dada particular atenção ao setor do leite e dos seus derivados.

Para a vice-presidente do GPPS, a aposta da estratégia de comunicação neste setor, por forma a evidenciar “as qualidades, os benefícios do seu consumo, bem como os mitos associados”, seria uma importante medida no sentido de aumentar o consumo dos produtos e contribuir para o objetivo de um pagamento justo ao produtor.

Referindo o objetivo de uma verdadeira melhoria do setor que se reflita no pagamento justo ao produtor, Lara Martinho defendeu na ocasião a importância de se continuar a apostar na abertura de novos mercados estratégicos para áreas que têm atravessado maiores dificuldades, como é o caso dos lacticínios, em particular dos Açores.

De acordo com a deputada socialista, a suspensão anunciada dos direitos aduaneiros de retaliação sobre as exportações da Europa e dos EUA, impostos no âmbito dos litígios das aeronaves Airbus/Boeing, foi um passo importante, mas também “um novo começo nas relações com os EUA”, neste que é um importante mercado para a Europa e em particular para Portugal.

“A suspensão destes direitos aduaneiros tem um impacto significativo na exportação de lacticínios dos Açores para os EUA”, considerou a deputada, que defendeu a importância de se acompanhar esta matéria, “dado o potencial que significa para a exportação de produtos nacionais para este mercado”.

Nesse sentido, Lara Martinho questionou a Ministra da Agricultura quanto ao ponto de situação da abertura de novos mercados em particular durante estes meses de pandemia, bem como sobre a estratégia do Governo para fazer face a este importante dossiê.

Já em resposta, a Ministra da Agricultura salientou que no que respeita aos mercados abertos, na anterior legislatura foram 64 com 267 produtos, enquanto na atual são já 16 mercados e 32 produtos, dos quais, 12 mercados e 21 produtos, – 16 da área animal, 4 da área vegetal e 1 da área da alimentação animal – foram abertos durante o período de pandemia. Maria do Céu Antunes confirmou ainda estarem em negociação a abertura de mais 73 mercados, para exportação de 349 produtos.

Na ocasião, a Ministra recordou ainda ter sido criado um grupo de trabalho interno, durante a pandemia, para trabalhar com o setor, sublinhando estarem a reavaliar os mercados estratégicos para cada setor, com o objetivo de “sermos mais incisivos na abertura de novos mercados, tendo em conta o contexto que a pandemia nos colocou”.

Quanto às exportações, Maria do Céu Antunes registou o aumento durante o ano de 2020, com um crescimento de 5% dos produtos agrícolas e 2,5% do total do complexo agroalimentar, tendo ainda salientado a diminuição das importações em 4,8%, em relação a 2019. Já em relação a 2021, a Ministra salientou a trajetória positiva do complexo agroalimentar, com um crescimento acumulado, entre janeiro e fevereiro, das exportações em 2,6% e uma redução das importações em 6,1%.

Perante estes dados, a Ministra confirmou significar que os produtos portugueses são reconhecidos pelos consumidores, mas também que “o esforço dos agricultores, produtores e trabalhadores tem reflexos evidentes nos resultados alcançados”, referindo ainda que “a Política Agrícola Comum continua a cumprir o seu papel: garantir a resiliência e a segurança dos sistemas alimentares”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO