Licenciamento das Termas do Carapacho poderá ser uma realidade em breve

0
28

O Diretor Regional da Saúde afirmou hoje que o licenciamento das Termas do Carapacho “poderá ser uma realidade a breve trecho, com vista a assegurar a qualidade e segurança no serviço prestado”, salientando que este processo conta atualmente com o Relatório do Estudo Médico-Hidrológico da Água Mineral do Carapacho e o Estudo Hidrogeológico da Concessão Hidromineral do Carapacho, depois de já terem sido “realizadas intervenções com vista à melhoria e manutenção das condições existentes”.

Tiago Lopes, que falava na sessão de abertura de um workshop sobre Termalismo, referiu que, atendendo ao recente regresso da comparticipação dos tratamentos termais pelo Estado em 2019, terminando uma suspensão que vinha de 2011, a Região não se coloca à margem deste processo, estando o Governo dos Açores a trabalhar para que Açorianos e turistas possam usufruir das condições únicas das estâncias regionais.

“Os seus efeitos minerais naturais e o modo como são proporcionados os tratamentos, tornam o termalismo especial” afirmou o Diretor Regional, acrescentando que “as suas propriedades potenciam as defesas naturais do organismo, sendo que, consoante a zona de onde brota e as caraterísticas que possui, cada tipo de água mineral difere nas propriedades terapêuticas que proporciona, com inegável pertinência para a promoção da saúde e prevenção da doença”.

A água das Termas do Carapacho, na Graciosa, está qualificada como água mineral natural e, como tal, tem vocação terapêutica.

Por seu lado, a Diretora Regional do Turismo reforçou a “importância do termalismo e dos tratamentos termais”, não só no contexto da saúde, mas também enquanto segmento turístico com potencial nos Açores.

Cíntia Martins destacou o caso específico das Termas do Carapacho, “uma infraestrutura que recentemente beneficiou de obras de remodelação e de requalificação, com vista a melhorar a qualidade do serviço prestado, não só aos utentes que a procuram por motivos de saúde, mas também como valência turística, numa ilha em que as termas assumem especial destaque, pelo elevado potencial para a dinamização da própria economia graciosense”.

Segundo a Diretora Regional, esta é uma medida que coloca os recursos termais ao serviço das populações e, simultaneamente, consolida a oferta turística existente na área do termalismo e do turismo termal, que tem vindo a ser implementada pelo Governo dos Açores, numa ótica de desenvolvimento da atividade, em complemento de outras valências turísticas e hoteleiras.

Cíntia Martins referiu ainda que este workshop resultou de uma iniciativa da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, em parceria com a Secretaria Regional da Saúde, com o objetivo de promover as potencialidades deste produto junto do corpo médico regional e “os benefícios dos banhos e técnicas termais, não só na ilha Graciosa, mas, igualmente, num contexto mais alargado, ao nível da promoção da saúde e da sua eficácia, em termos da recuperação terapêutica”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO