Não adianta chorar sobre o leite derramado

0
16

Cansada dos discursos de perspicaz interpretação política, de profunda análise social, de veemente admoestação moral na noite de todas as eleições e perante as crescentes taxas de abstenção, parece-me que o dever de quem pode é começar por combater a abstenção antes desta se confirmar, é tentar contrariar a humilhante taxa de 78,3% de abstenção nas últimas eleições europeias, em 2009.Missão difícil, é certo, quando as próximas eleições europeias decorrem no Domingo de Santo Cristo… Não faltam vozes a pressagiar o pior: agora é que a abstenção vai disparar (como se não o tivesse feito já!?). Mas afinal, mesmo reconhecendo que a nossa cultura abstencionista se vai alimentar deste novo argumento, observando objetivamente a realidade, este não deixa de ser mais um pretexto desculpabilizador para quem, em qualquer circunstância, não procura qualquer motivação para votar.

É esta motivação que importa despertar no cidadão-eleitor e fazê-lo com antecedência, e fazê-lo recorrendo a modelos de informação e promoção das instituições europeias diferentes dos já comuns.

O concurso “Mais Europa, mais Tu” tentou fazê-lo. Este foi um concurso que desenhei e dirigi aos Clubes Europeus das Escolas dos Açores, desafiando os jovens a planearem uma campanha eleitoral para os Açores e para a sua ilha também. O objetivo geral deste concurso era, obviamente, divulgar a realidade da nossa integração europeia, desenvolvendo a informação que o cidadão comum possui e apresentando modelos para a sua difusão. Além disso, e certamente o objetivo mais desafiante, era incentivar os jovens a criarem uma campanha mais dirigida aos destinatários, aos açorianos, aos açorianos de cada ilha. Assim, em vez de nos apoiarmos em modelos de campanhas pré-desenhados e exportados para as diferentes regiões, os açorianos, os açorianos de cada ilha, passariam a poder dispor de uma campanha imaginada e executada pelos seus jovens. 

Simultaneamente, importava garantir a isenção político-partidária deste projeto e testemunhar que o combate à abstenção e a participação nas eleições europeias são importantes para todos os partidos políticos com assento parlamentar, aos quais foi dirigido um convite para constituírem o júri. Agradeço, publicamente ao PSD, através do António Ventura, ao CDS-PP, através da Graça Silveira, ao BE, através da Zuraida Soares, ao PPM, através do Paulo Estevão, que aceitaram este convite e tiveram o privilégio de apreciar os excelentes trabalhos que os jovens produziram. Os melhores trabalhos serão em breve apresentados publicamente e a minha expetativa é a de que os órgãos de comunicação social açorianos recorram a estes trabalhos, feitos por jovens açorianos para açorianos-eleitores, para incentivar os açorianos a votar nas próximas eleições europeias, conduzidos pela voz dos seus filhos.

 

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO