Natal e Réveillon nos Hotéis da Horta

0
56
blank

Com a aproximação das festas de Natal e fim de ano, o Tribuna das Ilhas foi saber, junto dos hotéis da Horta, que programação estão a oferecer nesta quadra festiva.

O hotel Azoris Faial Garden tem uma oferta diversa, aproveitando os produtos regionais, tanto para o Natal, como para a passagem de ano. No dia 24 apresentará um jantar de consoada que inclui bebidas de boas-vindas, entradas, prato de peixe e de carne, sobremesa e bebidas da casa. O almoço de dia 25 conta com buffet com uma variedade de saladas e entradas, escolha entre quatro pratos principais e sobremesas natalícias. Para a passagem de ano, o hotel apostará num jantar buffet com entradas, pratos frios e quentes, sobremesas, bebidas e espumante e passas à meia-noite, que será animado por uma atuação musical de Filipe Fonseca. No primeiro dia do ano, terá lugar um brunch com iguarias tradicionais, snacks, entradas, pratos principais e sobremesas. O diretor garante que estes momentos pautar-se-ão pela máxima segurança no que toca ao covid-19. A capacidade de sala foi reduzida, e a apresentação de certificado de vacinação ou teste negativo é obrigatória. O diretor refere que está prevista uma ocupação de 30% para a passagem de ano, contudo para o Natal a procura é menor.

O Hotel do Canal apostará na passagem de ano com um jantar que incluirá cocktails, pratos quentes e frios, sobremesas e bebidas. Este jantar será acompanhado por música ao vivo com Nuno Carneiro. Tem também disponível um pacote que inclui noite de alojamento em quarto standard com pequeno-almoço, jantar fim de ano e espumante e passas à meia-noite.

Já o Hotel Horta estará encerrado nesta quadra natalícia e abrirá portas a 3 de janeiro de 2022.

A passagem de ano na cidade da Horta contará com fogo de artifício com a duração de 10 minutos e será lançado do Cais Velho, molhe do porto comercial. Da Avenida Marginal, as pessoas terão um bom panorama deste espetáculo.

Armando Faria, delegado de saúde da ilha do Faial

TI: Quais as recomendações que tem a dar aos faialenses de maneira a evitarem uma potencial infeção com covid19 ao longo das festas natalícias e de ano novo, tradicionalmente repletas de contacto interpessoal?
AF: O controlo da pandemia e a segurança de todos depende do comportamento de cada um. Sabemos que a transmissão do vírus se faz num contexto de proximidade, sem máscara, em locais fechados e pouco arejados.
O que aconselhamos nesta quadra natalícia é a realização de testes, além das medidas já sobejamente conhecidas como a desinfeção das mãos, arejamento dos espaços e a distância de segurança – sempre difícil de cumprir em ambientes festivos.

TI: Considera que a população deve recorrer aos auto-testes durante este período? Com que frequência?
AF: A resposta é claramente sim. São bastante fiáveis, principalmente em doentes sintomáticos.
Aconselhamos realizá-los, na impossibilidade de um RT-PCR, a todos os que chegam à ilha, independentemente do seu estado vacinal e do seu certificado digital. Devem resguardar-se até terem um resultado de teste negativo e devem voltar a repetir pelo menos aos 5.º e 10.º dias.
A restante população, e quando possível, deve testar antes de eventos que não cumpram minimamente com as regras de segurança que todos conhecemos.
Por fim, os sintomáticos e entenda-se por sintomas covid uma simples dor de garganta, perda de paladar e olfato, tosse, obstrução nasal, febre, dor no corpo, devem isolar-se, ligar para a Linha de Saúde ou para a Delegação de Saúde da Horta.
Na presença de uma testagem positiva devem também fazê-lo, para de seguida validar-se o teste com a metodologia RT-PCR

TI: Satisfeito com o número de vacinados na ilha até ao momento? Já se faz ideia de quando na ilha chegaremos à vacinação em crianças?
AF: Estou bastante satisfeito com a adesão da população do Faial à vacinação, que nesta altura ronda os 82%, mas queremos mais. É indiscutível o papel da vacina no controlo dos sintomas graves da doença COVID-19.
Quanto à vacinação na faixa etária dos 5 aos 11 anos ainda não recebemos orientações da DRS nesse sentido.

TI:Alguma mensagem que queira deixar aos profissionais de saúde?
AF: Aproveito para agradecer aos profissionais de saúde que nos ajudaram ao longo destes anos de covid. Por fim o meu profundo agradecimento aos profissionais que colaboraram e colaboram diretamente com a Delegação de Saúde da Horta. É de enaltecer a seu empenho, dedicação e profissionalismo, muitas vezes em prejuízo da sua vida pessoal.