“Nenhum Jovem pode ficar para trás”, afirma Vílson Ponte Gomes

0
11

A Juventude Socialista dos Açores reuniu ontem com a delegação da CGTP/Açores, no âmbito do ciclo de contatos e de reuniões que a organização partidária está a realizar, de auscultação a diversas entidades com atuação na área do emprego, na qual foi possível abordar o papel dos sindicatos na atualidade e auscultar as preocupações sobre os direitos laborais dos jovens, num momento de crise sem precedentes.

“Esta é uma crise cuja extensão e profundidade ainda não conhecemos em detalhe, mas não será a primeira crise que atinge muitos dos jovens”, afirmou o líder da JS/Açores, acrescentando ainda que a “JS não descura nem a problemática do desemprego jovem, nem as dificuldades que daí possam advir, mas trabalha, como tem desde sempre trabalhado, para encontrar soluções e apoiar a sua implementação.”

Para Vílson Ponte Gomes, as grandes questões do emprego jovem e de minimização do desemprego nesta faixa etária não se podem desligar de uma análise pormenorizada à vertente do combate à precariedade e às situações de injustiça a que algumas vezes os jovens estão sujeitos no mercado laboral.

Nesse sentido, e no âmbito destas reuniões que a JS/A está a ter, irá ser elaborado um documento final, no qual serão introduzidas as propostas e medidas adaptadas às circunstâncias, que visam garantir a estabilidade laboral dos jovens. Para a JS/A, essas medidas serão um importante instrumento de trabalho para as políticas de emprego Jovem, em nome do futuro da nossa Região e da nossa Geração.

No âmbito de todo o trabalho já desenvolvido pelo Governo dos Açores como resposta imediata ao COVID-19, Vílson Ponte Gomes destaca como medidas fundamentais, as medidas que visam apoiar as empresas e as famílias para a manutenção de postos trabalho;  as medidas que visam evitar perda de rendimentos e a exclusão social, a prorrogação dos programas Estagiar por mais nove meses; o programa extraordinário de valorização de estágios e de inserção socioprofissional; o apoio ao reforço da qualificação dos trabalhadores ou, por exemplo, os incentivos à liquidez das empresas e manutenção dos postos de trabalho.

Com a certeza de que os próximos tempos permitirão relançar a economia dos Açores, a JS/Açores entende que é necessário analisar os desafios com que agora somos confrontados, bem como encontrar as melhores soluções de forma a minimizar os danos dos tempos que vivemos, porque nenhum Jovem pode ficar para trás.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO