“Ninguém mais que o Partido Socialista quer o melhor projeto para o Porto da Horta”, garante Tiago Branco

0
52
DR

“Ninguém mais que o Partido Socialista quer o melhor projeto para o Porto da Horta. Defendemos, também, que se devem esgotar todas as opções e realizar todos os estudos técnicos antes de se avançar com a obra – como é compromisso da Portos dos Açores -, no entanto, e mesmo sabendo que qualquer projeto que seja apresentado nunca terá unanimidade, se os estudos que vão ser realizados validarem a atual proposta de projeto, pensamos que esta é a melhor solução para o Porto da Horta”, afirmou Tiago Branco, esta terça-feira, depois das audições realizadas na Comissão de Economia.

No âmbito de uma petição que pretende a suspensão das obras previstas na segunda fase da intervenção no Porto da Horta foram ouvidos, pela Comissão de Economia, diversas entidades, entre as quais: o primeiro signatário, o Capitão do Porto da Horta, o Presidente da Câmara de Comércio e Indústria da Horta, o Presidente da Câmara Municipal da Horta e a Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas.

“Estas audições permitiram-nos conhecer as diferentes perspetivas sobre o que está em causa, mas parece-nos que há posição unânime quanto à importância do Porto da Horta para o desenvolvimento do Faial, e da Região, e a projeção internacional que dá à cidade da Horta e à ilha do Faial”, acrescentou o parlamentar.

Para o deputado faialense, o atual projeto “assegura questões essenciais, como é o caso do aumento da capacidade da marina – porque não é possível, nos dias de hoje, vermos o Porto da Horta sobrelotado de veleiros fundeados no meio da baía e achar que não se deve fazer nada”, referindo que “se o Faial quer continuar a afirmar-se como capital do iatismo nos Açores, se quer continuar a receber os veleiros que recebe hoje ou mais, tem que criar as condições para isso”, acrescentou.

Outra das questões essenciais referidas pelo parlamentar, relaciona-se “com uma reivindicação antiga de todos os faialenses para a criação de condições em terra que permitam a reparação naval e a invernagem de embarcações, o que se traduzirá, também, em criação de mais emprego e na dinamização da economia do Faial”.

Para Tiago Branco é, também, importante “proceder à separação das atividades desenvolvidas no Porto da Horta, como aliás foi referido pelo capitão do Porto da Horta, que alertou para alguma insegurança que as condições atuais oferecem e que considerou que o atual projeto permite resolver, separando as atividades e promovendo mais segurança e melhor navegabilidade dentro do Porto”.

O deputado do PS/Açores considera que “a intervenção no Porto da Horta, no valor de 17,5ME, é fundamental para o desenvolvimento económico do Faial e que, asseguradas todas as questões técnicas associadas, este é um projeto que deve avançar, porque serve o Faial e potencia fortemente a sua vocação marítima”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO