Nova Vida nas Travessias do Canal Faial/Pico

0
21

Em princípios da década 30 do século XX quando, vindos dos Cedros, cheguei à então cidade mais desportiva açoriana, o “mudo Azevedo” era pessoa assaz conhecida e falada, mesmo entre a gente miúda, pela proeza de ter atravessado a nado o Canal.

Segundo José Bettencourt, em “F.S.C. – Subsídios para a sua história”, a 1ª. travessia do canal Faial/Pico (5 milhas) foi realizada a 2-6-1926 pelo americano G.A.Guatafson, em 5 horas e 32 minutos. E, decorridos 3 anos, em 31-7-I929, Manuel de Azevedo Lima, do Sporting C. da Horta, fez nova travessia, em 3h. e 6m (seis), escreve o mesmo, mais ou menos palavra.

Recordo que nos meses de Verão da dita década, habituei-me a vê-lo a nadar pausadamente, horas a fio, entre o Cais Velho e a Poça dos Frades.

Travessia do Canal faial/pico Atrás, da esquerda para a direita: Nuno Braga (que completou 42 anos no dia da travessia), Vítor André, Duarte Simões e João Medeiros (não concluiu a travessia).Á frente, pela mesma ordem: Miguel Arrobas, Miguel Furtado, Vitor Medina, José Decq Mota e Rodrigo Ferreira.Nesta fotografia faltam Luís Francisco, de São Miguel e Letícia Toste, da Terceira

Tinha, porém, uma particularidade para nós: era irmão mais velho do Fernando Lima, também campeão de natação, mas nas corridas de velocidade (100 e 200 metros) tendo praticado o futebol, e uma vez reformado das lides desportivas, passou a ser entusiasta adepto cujo estridente grito “Aguenta Verdos” deu-me título a livro lançado no centenário do Fayal Sport.

Todavia, apesar do êxito das duas primeiras travessias, só 37 anos depois, isto é a 11 de Agosto de 1966, é que uma 3ª. travessia foi realizada, pelo Eng. José Maria de Medeiros, nascido no Pico e de 34 anos que fez as 5 milhas em cerca de 2h e meia.

E dois dias depois atravessou o Canal Pico/S.Jorge (Cais/Velas) de 11 milhas, em 12 horas, segundo elementos referidos na justa homenagem que foi prestada ao ilustre picoense em São Roque.

Como orientador, esteve ligado à 4ª. travessia efectuada a 23 de Julho do ano seguinte, esta, com partida do Monte da Guia, Horta e chegada à Madalena.

Foram participantes os micaelenses:

Raul Jorge Leite Domingos 3h5m.

Helder Melo Peixoto Rodrigues 3h20m

Entretanto, novo interregno, desta feita, mais reduzido, uma vez que a 5ª. Travessia aconteceu a 10 de Agosto de 1985, com a novidade de ter sido a partir da Madalena e com chegada ao Cais Velho da Horta.

Outro micaelense, Manuel de Melo Amaral, de 37 anos, foi o vencedor, com 5h20m,  enquanto o companheiro, à partida, o faialense Carlos Alberto Sabino Menéses, de 25 anos, da Horta, desistiu após 3 horas.

Mais 23 anos são passados até que as travessias atingem a meia dúzia, em 2008 pelo norte americano David Youdovin, no tempo de 2h20m. com a partida a voltar a ser feita na Horta.

Travessia do Canal faial/pico Primeira Senhora a vencer o Canal

E com esta terá terminado o 1º. Ciclo das Travessias do já famoso Canal entre as ilhas gémeas, e irmãs como também são chamadas com natural propriedade, já que arrufos são coisas humanas e de somenos importância.

É que a 7ª. travessia (9 Kms) promovida pelo Grupo terceirense “Nadar Açores”, liderada por Vitor Medina e realizada na Semana do Mar com o apoio do Clube Naval da Horta, da presidência de José Decq Mota, tanto pelo apreciado número de participantes: nove (cinco da Terceira, dois de S. Miguel,  um do Faial e um de Lisboa), como pelo grande entusiasmo despertado, dá-nos a convicção de que o novo Ciclo passará a ter urna periocidade anual. 

A propósito, mais algumas considerações, naturalmente repetindo algo já avançado neste Semanário e no “Diário Insular” de Angra, particularmente.

Começaremos por Letícia Toste, a primeira senhotravessia do canal que deu título a inesquecível livro do compatriota Vitorino Nemésio.

Depois temos o faialense Vitor André, juntando-se ao “mudo Azevedo” e aumentando para dois os nadadores do Faial.

Uma devida referência ao facto de a travessia, ter sido em conjunto adentro da capacidade dos nove nadadores fora de espirito competitivo, e quiçá também ao sabor da maré: os cinco primeiros terminaram na Marina, e os outros quatro pisaram terra no Monte da Guia.

Dois factos ainda dignos de nota:

Os dois primeiros, Miguel Arrobas (Lisboa) e Miguel Furtado (S. Miguel) cortaram a meta em linha com 2h11m31/34 s

E o último ter sido o organizador Vitor Medina (Terceira) em 3h51m qual comandante a manter-se no Barco até ao fim.

Foi de facto uma arrojada iniciativa, com assinalado êxito e que veio dar vida nova às Travessias do Canal, projectando-as para patamar mais elevado, quiçá até mundial, embora já tenha sido palco para campeões internacionais, como o norte-americano David Youdovin e agora o português Miguel Arrobas do Grupo terceirense “Nadar Açores” a inaugurar o segundo Ciclo na Semana do Mar.

* O autor não escreve de acordo com o novo Acordo Ortográfico

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO