Operação “MOTO”

0
12
DR

A partir de amanhã e até ao dia 7 de julho, a Guarda Nacional Republicana (GNR), na sua área de responsabilidade, realiza ações de sensibilização e de fiscalização rodoviária no sentido de prevenir comportamentos de risco durante a condução de motociclos e ciclomotores nas vias com maior intensidade de tráfego, com o objetivo de inverter a tendência de aumento da sinistralidade e de contribuir para um ambiente rodoviário mais seguro.

Da análise da sinistralidade, envolvendo veículos de duas rodas a motor, nos anos 2017 e 2018, resulta que, precisamente,1000 pessoas ficaram gravemente afetadas ou perderam a vida em acidentes de viação com veículos de 2 rodas, sendo que os meses de abril a setembro representam cerca de 67% da sinistralidade grave com este tipo de utentes.

Considerando que os condutores de veículos de duas rodas a motor constituem um grupo de risco pelo facto das consequências dos acidentes serem normalmente graves, tendo em conta a menor capacidade de proteção em caso de colisão ou despiste, a GNR tem desenvolvido um conjunto de atividades proactivas e dissuasoras da sinistralidade rodoviária, complementadas com ações de fiscalização, tendo, no 1.º semestre, sido detetados 401 condutores de motociclos ou de ciclomotores quenão efetuavam o uso do capacete edetidos outros 536 por não possuírem habilitação legal para conduzir.

No âmbito da prevenção, a GNR tem desenvolvido ações de sensibilização teórico-prática de técnicas de condução defensiva para motociclistas, ministrada por militares especialistas em segurança rodoviária e em condução defensiva de veículos motorizados de duas rodas, da Escola da Guarda e da Unidade Nacional de Trânsito. Esta ação tem uma componente teórica, que abrangeu temas como a posição de condução, segurança ativa e passiva, travagem de emergência e trajetórias de segurança, bem como uma componente para colocar em prática os ensinamentos de segurança rodoviária e de perícia de condução. Este tipo de ações contou, até ao momento, com a participação de cerca de 721 condutoresde motociclos e ciclomotores, de todo o país, estando programada uma série de outras ações visando alcançar os mais de  1000 condutores inscritos.

Durante a operação serão empenhados militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, que estarão especialmente atentos aos seguintes aspetos:

Uso do capacete;

Manobras perigosas;

Excessos de Velocidade;

Não utilização de equipamentos de proteção;

Estado dos pneumáticos, sistemas de iluminação e matrícula;

Condução sem habilitação legal;

Condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas.

Os militares irão ainda efetuar ações de sensibilização dirigidos aos condutores de motociclos e ciclomotores, aconselhando o seguinte:

Uso do capacete, vestuário de proteção resistente e material retrorrefletor;

A obrigação de circular sempre com os médios acesos, para ser visto;

Não circular entre filas de veículos;

Adequar a velocidade ao estado do piso e garantir as distâncias de segurança.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO