Parlamento manifesta pesar por unanimidade pela morte de André Bradford

0
35

A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira, por unanimidade, um voto de pesar conjunto apresentado por PS e PSD pela morte, na quinta-feira, do eurodeputado socialista André Bradford.

O voto foi elaborado pelos cinco deputados eleitos pelos Açores (três do PS e dois do PSD): encabeçado pelo líder parlamentar socialista e ex-presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, o voto é depois subscrito pelos deputados Lara Martinho (PS), João Castro (PS), Berta Cabral (PSD) e António Ventura (PSD).
No voto, a que se associou o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, refere-se que André Bradford, de 48 anos, tinha “uma vida de entrega e empenhamento cívicos”, sendo licenciado em comunicação social e cultural pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica de Lisboa, e mestre em teoria e ciências políticas.
No texto, salienta-se que André Bradford foi jornalista do Diário de Notícias “e do periódico mais antigo em publicação, o Açoriano Oriental”.
“O seu desaparecimento, em condições tão súbitas e inesperadas, deixa a maior consternação em todos quantos o conheceram e junto do povo açoriano em geral. Constitui uma perda irreparável para a sua família, para a sua mulher, Dulce, e para os seus filhos, o mais novo dos quais com apenas dois anos”, aponta-se no voto de pesar.
No texto, destaca-se também que André Bradford era dirigente do PS, “iniciou a sua contribuição cívica em cargos públicos no apoio à Secretaria Regional do Ambiente nos Açores, sendo nomeado assessor com funções nos assuntos de cooperação externa e, mais tarde, de coordenação política do então presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César”. “Entre outras funções posteriores, foi chefe de gabinete do atual presidente Vasco Cordeiro, foi deputado na Assembleia Legislativa dos Açores, onde presidiu ao Grupo Parlamentar do PS e recentemente, tomou posse como eurodeputado.
Os deputados consideram que André Bradford “distinguiu-se, sempre, pelas suas qualidades de afabilidade, inteligência e de oratória, associadas a uma formação cultural e pessoal de grande exigência ética”.
“O seu contributo para o seu partido, para a qualidade do debate político, para a democracia e para a valorização da autonomia política açoriana é, por todos, reconhecido e elogiado. A Assembleia da República partilha, assim, a tristeza pelo falecimento de André Bradford, manifestando o maior pesar e a solidariedade para com a sua família, os seus amigos, os açorianos em geral e os seus colegas no Parlamento Europeu”, acrescenta-se no mesmo voto.
Na parte resolutiva do voto, hoje aprovada, a Assembleia da exprime “tristeza pelo falecimento de André Bradford, manifestando o maior pesar e a solidariedade para com a sua família, os seus amigos, os açorianos em geral e os seus colegas no Parlamento Europeu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO