Partido Socialista “não tem autoridade moral e política” para falar sobre abandono escolar precoce

0
23
DR/PSD
DR/PSD

A deputada do PSD/Açores Délia Melo afirmou que o Partido Socialista “não tem autoridade moral e política” para falar sobre o abandono escolar precoce na região, lembrando que o Governo do PS “falhou redondamente” as metas que fixou nesta área.

“Os governos socialistas fixaram como meta a redução para 10% da taxa abandono escolar precoce nos Açores em 2020. Falharam redondamente, pois essa taxa mantém-se nos 27 por cento, a mais alta do país e quase três vezes superior à média nacional”, afirmou.

A parlamentar social-democrata recordou que o Plano Integrado de Promoção do Sucesso Escolar (ProSucesso), criado pelos governos do PS, estabelecia como meta, relativamente à evolução da taxa de abandono escolar precoce nos Açores, que “até 2020, a percentagem de alunos que abandonam o ensino e a formação deverá ser inferior a 10%”.

“Quem falhou redondamente – como fica claro em documentos oficiais – as metas que fixou nesta matéria não tem autoridade moral e política para criticar aqueles que assumiram a governação há muito pouco tempo”, disse.

Para Délia Melo, “o combate ao abandono escolar precoce é complexo e os seus resultados apenas são visíveis a médio prazo, pelo que não se pode exigir ao novo Governo trabalho feito, quando a herança recebida foi medíocre”.

“É de um grande atrevimento, após 24 anos no poder e deixando uma pesada herança em matéria de Educação, vir pedir contas a quem está há meia dúzia de semanas em plenitude de funções no Governo Regional dos Açores”, sublinhou.

A deputada do PSD/Açores acrescentou que os números da taxa de abandono escolar precoce atuais “são preocupantes”, sendo resultado de “medidas desajustadas a vários níveis”.

“O estatuto socioeconómico das famílias é, sem dúvida, um fator de grande relevo na explicação do sucesso dos alunos, pelo que temos a prova que a intervenção na área social também não foi a mais adequada por parte dos governos socialistas”, frisou.

A parlamentar social-democrata destacou ainda as ações “que estão atualmente a ser levadas a cabo pela tutela, após o Governo anterior não ter mostrado preocupação na preparação do presente ano letivo”.

“É compromisso do novo Governo Regional ter uma postura de proximidade e diálogo com todos os agentes educativos – aqueles que melhor conhecem a realidade –, em busca das soluções mais adequadas em prol do desenvolvimento dos Açores”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO