PCP/Açores defende reversão da privatização dos CTT

0
10

A Representação Parlamentar do PCP no plenário do mês de julho da Assembleia Regional apresentou a urgência de uma tomada de posição da ALRAA exigindo ao Governo da República que seja criado um regime de reversão da privatização e de recuperação integral do controlo público da empresa CTT – Correios de Portugal, S.A..
A gestão privada dos CTT compromete o dever da prestação e a qualidade do serviço público de distribuição postal que é fundamental para a economia e coesão social e territorial do nosso País, e com um enorme foco na nossa Região. Face à ruinosa gestão privada protagonizada por esta administração dos CTT, e à evidente intenção de destruir o serviço público de correios e a rede pública postal, cresce nas populações e entre os trabalhadores, as autarquias, as organizações e entidades oficiais a nível nacional, regional e local, o apelo para a urgente necessidade de recuperar o controlo público dos CTT.
A privatização dos CTT foi e é má para os Açores, mas pior só mesmo para os utentes e para os seus trabalhadores. Com a privatização dos CTT, para além da diminuição salarial, o atropelo aos direitos laborais e dignidade dos trabalhadores tem sido vergonhoso.
Imensas têm sido as queixas das populações pelos sucessivos e consecutivos atrasos na distribuição e entrega postal nas nossas nove ilhas. A crise pandémica provocada pelo Covid-19 foi mais uma desculpa para a gestão privada dos CTT reduzir custos através do transporte marítimo de correio desde território continental, o que naturalmente tem provocado graves atrasos na distribuição desse correio no nosso arquipélago e tem sobrecarregado imenso os valorosos carteiros que laboram nos Açores.
A Região não pode continuar a ver adiada uma resposta efetiva aos graves problemas que estão colocados aos CTT e ao serviço público postal. A reversão da privatização dos CTT é um objetivo cuja concretização deve envolver a ponderação de diversas opções. Essas opções podem ir desde a nacionalização, passando pela aquisição até à negociação com os acionistas privados dos CTT e outras formas que o possam assegurar.
A Representação Parlamentar do PCP lamenta profundamente que o grupo parlamentar do PS tenha rejeitado a urgência desta pronúncia por iniciativa própria da ALRAA que pretenderia deixar clarividente a posição da Região Autónoma dos Açores sobre a privatização dos CTT – Correios de Portugal e em defesa da melhoria da distribuição postal que tem obrigatoriamente de ser mais célere para melhor servir todos os açorianos.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO