Plenário: PS- “Governo Regional deveria ter sido o primeiro a defender publicamente as rotas do Faial, Pico e Santa Maria”

0
14
blank

Tiago Branco salientou que o Governo dos Açores “deveria ter sido o primeiro a defender publicamente as rotas do Faial, Pico e Santa Maria” e não “esperar que houvesse manifestações públicas para vir dar uma resposta”.

O deputado do PS falava na cidade da Horta, no debate de uma recomendação ao Governo, unanimemente aprovada, que visa recomendar ao Executivo regional que defenda a manutenção das rotas do Faial, Pico e Santa Maria para o continente.

          Tiago Branco entende que “cabia ao Governo de José Manuel Bolieiro “dizer à República o que é que deseja para a definição de Obrigações de Serviço Público (OSP’s) para o transporte aéreo nos Açores” e não “estar à espera que o Governo da República arranje uma solução”.

          Como exemplo desta inatividade, o parlamentar socialista recordou o episódio em que, num jornal nacional, com declarações do Secretário Regional dos Transportes, Mota Borges, na véspera das eleições legislativas nacionais, saiu uma “notícia” que colocava em causa a manutenção dessas rotas, com o “claro objetivo de gerar discórdia e tirar proveitos políticos”.

          “Isto aconteceu em janeiro. Mas só em fevereiro é que o Presidente do Governo decidiu enviar uma carta ao Primeiro-Ministro que, por sinal, até já respondeu, assegurando a manutenção destas rotas”, assinalou Tiago Branco.

O deputado defendeu que, “se a SATA começar a receber compensações financeiras, também terá de melhorar o seu serviço e isso também terá de significar mais voos para essas ilhas e assegurar a coesão territorial de toda a Região”.

          Para o deputado do PS é “inacreditável e totalmente incompreensível” a forma como “o Governo Regional esteve novamente de mão estendida, à espera que o Governo da República resolvesse mais este problema”.

          Contrariamente, Tiago Branco sublinhou que o Executivo regional “foi rápido a acabar com os encaminhamentos aéreos gratuitos, fazendo-o sem dizer nada a ninguém”, tendo sido igualmente célere a “alarmar a sociedade civil com esta história das OSP’s”, atitudes que classificou como “completamente lamentáveis”.

Tiago Branco criticou o Governo por se ter “limitado a reconhecer que havia um problema comunicado pela SATA”, compactuando com a narrativa de que “as rotas do Faial, Pico e Santa Maria seriam as responsáveis pelos problemas da SATA”, algo que é “inadmissível por parte do Governo Regional”.

“O Governo Regional fez alguma avaliação global sobre as atuais OSP’s? Ouviu os empresários? Ouviu as Câmaras do Comércio sobre as mais-valias e menos-valias do atual modelo?”, questionou o parlamentar, frisando que “temos de ouvir as pessoas e a sociedade civil, fazer uma análise daquilo que foi feito e propor ao Governo da República aquilo que nós queremos para as ligações aéreas nos Açores”.

Tiago Branco realçou que, neste debate, “foi a primeira vez que o PSD e o CDS admitiram que as rotas do Faial, do Pico e de Santa Maria davam prejuízo”, porque “anteriormente, quando se falava de prejuízo nas rotas da SATA, estes partidos diziam que era mentira e agora vêm reconhecer que afinal o PS tinha razão”.

O socialista não esquece que os partidos da coligação, quando eram oposição, “solicitaram muitos voos para todas as ilhas, sem qualquer preocupação financeira com as contas da SATA” e agora, que são poder, “escondem o plano de reestruturação do Grupo SATA”.

“Tudo isto demonstra a total falta de liderança e de propositura do Governo Regional junto do Governo da República sobre aquilo que são os desejos dos Açores para o futuro, em matéria de transporte aéreo. Precisamos de outro rumo, de maior determinação e competência”, finalizou o deputado do PS, Tiago Branco.