Preço dos transportes baixa em todo o país e descontos são fixados localmente

0
16

O secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade sublinhou hoje que a redução dos preços dos transportes é extensiva a todo o país, acrescentando que o valor da redução será definido localmente por cada autoridade de transporte.Falando em Braga, durante a 3.ª Conferência Anual das Autoridades de Transporte, José Gomes Mendes destacou que a redução dos preços se insere na aposta do Governo na alteração do paradigma da mobilidade, com vista à crescente utilização do transporte público em detrimento do individual.
“O Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) é um programa nacional, foi desenhado assim, está muito claro na Lei do Orçamento do Estado. Convém sermos claros e rigorosos: cobre todo o país”, referiu.
O PART conta com 116 milhões de euros, dos quais 104 do Orçamento do Estado e os restantes dos municípios.
Segundo José Mendes, a partir de 1 de abril cerca de 85% dos portugueses já beneficiarão de descontos nos transportes, uma percentagem que deverá atingir os 100% em 1 de maio.“O programa é nacional, foi sempre pensado nacional”, reiterou.
O valor dos descontos será fixado por cada autoridade de transporte, sejam municípios, comunidades intermunicipais (CIM) ou áreas metropolitanas.
De acordo com o secretário de Estado, mais de 80% da verba do PART será utilizada para “redução transversal a todos os passageiros”.
Além disso, outras autoridades de transportes estão a promover outras medidas, como gratuitidade para jovens, reduções para idosos e passes família.
“É uma descentralização com autonomia”, referiu José Mendes, sublinhando que foi “dada liberdade” às autoridades de transporte para tomar as medidas que considerem mais ajustadas à realidade de cada região.
Segundo o governante, várias CIM decidiram implementar descontos de 50%, mas o valor “é muito variável”.
“Cada uma faz as suas opções. Não podemos ter regras iguais para todo o país porque as realidades são diferentes”, disse.
A redução das tarifas visa criar condições de acesso ao transporte público e assim inverter “a trajetória razoavelmente insustentável” da mobilidade em Portugal, onde mais de 60% ainda viaja de transporte individual.
O objetivo do Governo é conseguir mais 100 mil utilizadores dos transportes públicos, num total de mais 63 milhões de viagens anuais, reduzindo em 79 mil toneladas as emissões de CO2.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO